exibições 92.707

Cálice de Tontear

Rayane Vanessa


Quando eu ouvir o som da trombeta tocar
Preparada eu quero estar com
Vestes brancas e mãos limpas
Eu quero me apresentar
Diante do rei dos reis e me prostrar
Quero ouvir a sua doce voz
Meu nome chamar
E no mais lindo coral, eu irei cantar

Abram os portões celestes
Que a festa vai começar
Abram os portões celestes
Que a festa vai começar
Eis a noiva e o cordeiro
A festa vai começar

Trombetas tocando, o céu se abrindo
Milhares de anjos, nas nuvens surgindo
Coberto de glória
O meu senhor vem buscar o seu povo para
Nova jerusalém
O cálice de tontear

Ele foi como o cordeiro e voltará como o leão
Trazendo a sua ira em total destruição
Para aqueles que um dia rejeitaram na cruz
Agora todos saberão quem é jesus
Aquele homem simples que o mundo ouviu falar
Agora voltará como rei para julgar
Poderosos deste mundo que pensão ter o poder
Terão que se dobrar
Reconhecer que eles que eles nada são
E que nada podem fazer
E somente deus tem o poder
E nele coloco toda a minha fé
Rei dos reis, senhor, jesus de nazaré

Abram os portões celestes
A festa vai começar
Abram os portões celestes
A festa vai começar

Abram os portões celestes
A festa vai começar
Abram os portões celestes
A festa vai começar

E ouvi uma vós como de grande multidão
Voz como de grande trovão
Que dizia, aleluia, salvação, honra, glória e poder
Pertencem ao rei dos reis
E seus olhos eram como chamas de fogo
Estava vestido com veste salpicada de sangue
E na sua boca, da sua boca sai uma longa espada para ferir as nações
Verdadeiros e justos, são os seus juízos nas suas vestes
Nas suas vestes e na sua coxa tinha escrito este nome
Rei dos reis e senhor dos senhores
Bem-aventurados os que são chamados as bodas do cordeiro
Igreja, igreja
Eis que o senhor virá, eis que o senhor virá
Prepara-te ó noiva do cordeiro. Aleluia

Abram os portões celestes
A festa vai começar

Adicionar à playlist Tamanho Cifra Imprimir Corrigir