MS Barney, mendigo satanista
Que pode rimar tão rápido quanto os dedos de um pianista
Vivo na rua, adorando o cramunhão
Matando pessoas e fumando crack com outros irmão
Barney é o meu nome, 666 é minha sina
Adoro Satanás através de minha rima
Estrupando crianças com meu machado anal
Desvirginando freiras com a cabeça do meu pau
Porque nasci num cemitério, num altar de adoração
Estuprei minha própria mãe com uma cópia do alcorão
Perfurando um órgão humano com meu órgão genital
Espalhando a Thelema para a glória de Nergal

Equinócio de outono, o ritual
Conclamando as hordas de meu pai Nergal
Mendigos se reúnem, numa orgia pagã
Celebrando a Thelema, festejo de Pã
Prostitutas, sodomitas, vagabundas de plantão
À glória de Mystifier os guerreiros lutarão
Consagrando o satanismo, o sigilo ritual
Trago fetos de sem-terra dentro da minha Rural
Perseguido no Brasil e em terras de estranja
Coleciono vadias, faço delas minha granja
Então bota para cima, que eu entro com amor
Te penetro com a cruz onde morreu seu salvador
Lá na pedreira, eu fumo em paz
Anno Panthos Kakodaimonoz

Menestrel das trevas e professor da Universidade Episcopal de Satanás
Meu nome é Aquaplay
Thelema é minha crença, Satã é o meu rei
Cocaína, minha droga, necromano, meu estilo
Hey
Você não sabe da minha capacidade
Num quarto de estrofe, eu blasfemo toda a Santíssima Trindade
Sem titubear, sem parar pra respirar
O pai é bicha, o filho é drag, o Santo é sadomasoquista
Fechando minha lista, contando uma história
Vendi a minha alma pro capeta, sem demora
Vamo deixar de onda e entrar na moda agora
Vende a alma pra Satã, porque toda hora é hora

Cabrito do mal, contrato na mão
Vendi a minha alma para o cramunhão
Sexta-feira, meia noite, aquele frio de rachar
Levei frango, farinha, tudo pra te agradar
Então vê se não vem com esse papo de que trato é trato
O que eu prometo eu nunca deixo de cumprir
Porque não me importo mais, vou pro inferno de qualquer maneira
Profano, minto, estrupo e mato de segunda a sexta-feira

No sábado eu saio para ver os meus amigos
Prostitutas, traficantes, viciados e mendigos
Sou pior que o Beira-Mar, verdadeiro deviante
Todas as mulher só me chama de amante
Quando tudo tiver pronto, é melhor tar preparado
Te cuida, Satanás, Eu vou roubar o teu reinado

Comendo uma criança, barbarizo seu cadáver
Quando canso, vou pra igreja para estuprar um padre
Com uma serra elétrica estupro seu rabinho
Com um tubo de enema entupi o seu cuzinho
Nas ruas da cidade encontrei a diversão
Vou chapar você de crack pra instaurar a felação
Fist-fucking é lei, não estranha não
Te espanco até a morte pra entreter os meus irmãos, então
Chupa o meu porrete, tem a manha? Não estranha
Vou te levar pra cama, te tratar como piranha
Te foder feito ariranha e ainda ralar o seu butão

Puta, cadela, entra no meu jogo
Você vai adorar sentir seu cu pegando fogo
Mulher, não sou machista; Eu sou realista
Canto bem assim porque aprendi com um autista
Satanistas de plantão, tenho uma revelação
Resolvi mudar de vida e adorar o cramunhão
Pintei o meu cabelo, raspei o meu sovaco
Dedico meu tempo inteiro a beber porra de macaco

Esqueci de mencionar que odeio Cristo Aquele filho da puta já tá sabendo disso
A coisa que mais me excita é que ele sabe onde estou
E que quando acabo de trepar eu grito: "Thundercats, HOOOOO!"

Adicionar à playlist Tamanho Cifra Imprimir Corrigir
Composição: Aquaplay / MC Carvão / MS Barney · Esse não é o compositor? Nos avise.
Enviada por Caio
Viu algum erro na letra? Envie sua correção.