Tiê Tiê, faz com carinho que eu quero aprender
Tiê tiê, devagarinho que eu quero aprender

Flor que nasce em pé de serra, é difícil de buscar
Mulher que grita rasgado, faz defunto levantar
Homem que faz apressado a mulher tem que largar

Tiê Tiê, faz com carinho que eu quero aprender
Tiê tiê, devagarinho que eu quero aprender

Quem brincar com cobra mansa, é melhor não se arriscar
A picada é diferente, engorda ao invés de matar
Só depois de nove meses, que o veneno vai curar

Tiê Tiê, faz com carinho que eu quero aprender
Tiê tiê, devagarinho que eu quero aprender

As moças de lugar quente, não conseguem refrescar
A fervura vem de dentro, pega fogo no lugar
O remédio é caldo quente, pra quentura equilibrar

Tiê Tiê, faz com carinho que eu quero aprender
Tiê tiê, devagarinho que eu quero aprender

As meninas lá da roça, tão querendo emancipar
Tão de cabeça virada, ninguém consegue mudar
Bota os machos na cozinha, e as meninas vão roçar

Tiê Tiê, faz com carinho que eu quero aprender
Tiê tiê, devagarinho que eu quero aprender

Adicionar à playlist Tamanho Cifra Imprimir Corrigir

Posts relacionados

Ver mais no Blog