O meu natal não tem ceia
Nem vinho, nem bacalhau
Pra quem tem samba na veia
Isso é normal, isso é normal
E pode ser lua cheia
Ou noite de temporal
Que o pagode incendeia lá no quintal

Meu natal é regado à churrasco e à cerva gelada
Versos de improviso da rapaziada
E o partido alto amanhece o dia
Meu natal não tem "noite feliz"
Mas a noite é de luz
Lembra a Velha Guarda de Oswaldo Cruz
E o pagode inflama de tanta alegria

Meu natal não precisa castanha, pernil, rabanada
E cá entre nós não precisa mais nada
Pra quem é do samba tá tudo legal
E se a carne acacabar não tem grilo
Alguém da família logo improvisa
Uma sopa de ervilha, pega mais cerveja
E viva o natal!

Canto samba de Candeia, Pagodinho e Marçal
E o pagode incendeia lá no quintal

Canto samba da mangueira e da coroa imperial
E o pagode incendeia lá no quintal

Adicionar à playlist Tamanho Cifra Imprimir Corrigir
Composição: Arlindo Cruz / Sombrinha. Essa informação está errada? Nos avise.