Afinal, qual é o significado do poema A Casa, de Vinicius de Moraes?

Examinando letras · Por Camila Fernandes

10 de Abril de 2019, às 10:09

Era uma casa/ Muito engraçada/ Não tinha teto/ Não tinha nada. E aí, vai dizer que não leu no ritmo da música? A Casa, de Vinicius de Moraes, é uma das canções infantis mais conhecidas do país. Ela tem encantado e despertado a curiosidade de crianças e adultos por várias gerações desde que foi lançada, há mais de 30 anos.

A discussão sobre o significado da letra ressurge de tempos em tempos, dando asas às teorias mais mirabolantes. Uma das histórias mais conhecidas, por exemplo, diz que o poema A Casa na verdade se refere ao útero de uma mulher, o primeiro lar de todo ser humano.

A teoria até que faz sentido, mas não é a história real — ela já foi desmentida por Toquinho, que gravou a música com Vinicius de Moraes e já fez várias outras parcerias com o autor.

Outra hipótese afirma que o poema trataria da realidade das pessoas em situação de rua, descrevendo uma moradia ao relento — apesar de interessante, esse também não é o significado verdadeiro.

Quer conhecer a história e o verdadeiro significado do poema A Casa? É só continuar a leitura!

História do poema A Casa

Ao contrário do que muitos pensavam, a casa muito engraçada não é fruto da imaginação do poeta, ela existe de verdade, e fica em Punta Ballena, no litoral do Uruguai.

O poema foi publicado em 1970, dentro do livro A Arca de Noé, que traz textos infantis de Vinicius sobre animais e objetos. Já a música foi lançada na década de 80, no disco que leva o mesmo nome que o livro.

O poema foi musicalizado e gravado da forma como conhecemos hoje em parceria com o cantor Toquinho, autor da música Aquarela (que também foi feita em parceria com Vinicius de Moraes). Entretanto, a história da casa que inspirou a canção e a relação de Vinicius com ela aconteceu muito antes de tudo isso.

Vinicius de Moraes e Toquinho
Vinicius de Moraes e Toquinho / Créditos: Divulgação

O dono da casa

Tudo começou quando o artista uruguaio Carlos Páez Vilaró visitou Punta Ballena pela primeira vez, em 1958. Encantado com a cidade, Vilaró decidiu que ela era o lugar perfeito para construir seu ateliê definitivo.

o artista Carlos Páez Vilaró
O artista Carlos Páez Vilaró / Créditos: Divulgação

No início a casa era apenas um cômodo de lata, que foi crescendo aos poucos e dando lugar à madeira. Alguns anos mais tarde, o artista começou a cobrir a casa com cimento e moldá-la com as mãos, como se fizesse uma escultura.

A casa nunca foi planejada e Vilaró escolheu construí-la sozinho. Durante cerca de trinta anos ele foi adicionando cômodos e outros ambientes de acordo com as necessidades que surgiam, como a chegada de amigos que vinham passar uma temporada no local.

Um desses amigos era o poeta brasileiro Vinicius de Moraes, que tinha uma relação muito próxima com Vilaró. Vinicius afirmava que, a cada vez que visitava o amigo, encontrava lá uma casa diferente, sempre maior, mas que nunca estava pronta, e definitivamente muito engraçada.

Aos poucos, a casa e seu modo único de construção foram chamando atenção dos que visitavam a cidade e ela começou a se tornar um ponto turístico. Vilaró afirmava que a casa se nutria da energia dos milhares de visitantes que passavam por lá.

A Casapueblo, como foi batizada por seu construtor, hoje abriga um museu, uma galeria e um resort.

Casapueblo, a casa muito engraçada
Casapueblo / Créditos: Divulgação

Significado da letra

O poema foi composto e cantado pela primeira vez em uma das viagens de Vinicius a Punta Ballena. O escritor criou a letra em homenagem ao amigo Vilaró, como uma canção de ninar para suas filhas que ainda eram pequenas.

Na letra original, os últimos versos diziam: “mas era feita com pororó, era a casa do Vilaró”. A palavra pororó, como gíria, pode ser entendida como enrolação, algo que é demorado e sem objetividade, o que faria sentido com o modo como a casa foi construída.

A casa foi construída à beira de um penhasco e, de fato, quando olhada de frente não parece ter teto. Justamente por ter sido moldada com as mãos e toda pintada de branco, a casa também não parece ter paredes, ela parece ser inteira, como uma única peça colocada sobre o local.

As outras coisas que “faltam” na casa, de acordo com os versos do poema, se referem justamente ao fato de que durante as visitas do poeta a casa nunca estava pronta, sempre faltava algo.

A música diz que era uma casa muito engraçada, o que já sabemos ser uma opinião de Vinicius sobre a construção do amigo. Hoje, depois de finalizado, o local parece um grande castelo branco construído à beira da praia.

O cantor Toquinho já disse que, no momento do pôr do Sol, a casa parece levitar sobre o mar — sem teto e sem chão. Apesar de ser um poema infantil, sob o ponto de vista de quem conhece a casa, o texto de Vinicius de Moraes demonstra bem as sensações trazidas pela beleza do lugar que foi feito, sim, com muito esmero.

Saiba mais sobre Vinicius de Moraes

Vinicius de Moraes foi poeta, escritor, músico e diplomata. Passou a maior parte da vida no Rio de Janeiro, mas viveu em países como Estados Unidos, onde teve sua primeira missão diplomática, e Inglaterra, onde estudou na Universidade de Oxford.

Vinicius de Moraes
Vinicius de Moraes / Créditos: Divulgação

O poetinha, como ficou conhecido, é um dos principais nomes que surgiram no cenário artístico brasileiro na década de 1930. Tido como um dos pais da bossa nova, Vinicius também é conhecido por escrever com métricas e ritmos impecáveis. Que tal conhecer outros textos do artista?

Vinicius de Moraes também é um famoso escritor de sonetos, um tipo de texto poético de estrutura fixa, dividido em 14 versos (4 na primeira estrofe, 4 na segunda, 3 na terceira e 3 na quarta). Isso reflete a paixão do autor pela métrica, pela rima e pelo equilíbrio.

Além disso, o poeta ainda é conhecido pela forma criativa como usa metáforas e outras figuras de linguagem. Seus textos são repletos de criatividade e requerem interpretação atenciosa.

Como podemos perceber, A Casa, de Vinicius de Moraes, apesar de ser um texto simples, reflete bem o modo de escrita do autor. De fato, apesar de ter um significado real, a letra permite várias interpretações e dá asas à imaginação de quem ouve.

E aí, gostou da explicação? O que você acha do significado do poema e o que você imaginou que seria? Deixe seu comentário!