Sweetener: a versão mais madura de Ariana Grande

Álbuns · Por Luiza Pérez

7 de Fevereiro de 2019, às 12:17

A cantora Ariana Grande mergulha em um novo estilo de música pop marcado por influências de R&B em seu quarto álbum de estúdio, o Sweetener.

Enquanto seu trabalho anterior, Dangerous Woman, trazia um compilado de hits na fórmula que a indústria fonográfica gosta, Sweetener é uma experimentação da cantora numa sonoridade completamente diferente do pop tradicional contemporâneo.

O disco também conta com abordagens extremamente pessoais em suas letras. Temas como relacionamentos tóxicos e saúde mental são colocados em evidência em algumas canções.

Ficou curioso? Continue lendo para conferir nossa análise completa de Sweetener!

O álbum Sweetener

O quarto disco da cantora pop Ariana Grande foi lançado pela Republic Records em agosto de 2018.

Capa do álbum Sweetener, de Ariana Grande
Créditos: Republic Records

O álbum conta com 15 faixas, as quais 10 tiveram coautoria da artista. Além disso, o disco foi desenvolvido por grandes nomes do meio musical, como Pharrell Williams e o sueco Max Martin.

Neste trabalho, Ariana explora temáticas nunca faladas antes e se joga em ritmos também nunca explorados por ela. Vamos falar um pouquinho melhor disso a seguir.

Explorando uma nova sonoridade pop

Como já dito antes, o disco conta com uma sonoridade bastante diferente dos trabalhos anteriores da cantora. É perceptível a pegada R&B em algumas músicas como sweetener, que dá nome ao disco, e borderline, com colaboração da rapper Missy Elliott.

Confira a letra de borderline aqui

Muito disso deve-se, com certeza, à sua parceria com Pharrell Williams, que é, além de produtor, coautor de grande parte das faixas do disco. Ele também participa com seus vocais em blazed, uma canção super alegre, bem estilo Pharrell como a gente conhece.

Outro ponto que merece evidência é a música R.E.M. Declaradamente a faixa preferida de Ariana, que também foi produzida por Williams, possui uma vibe R&B e é bastante doce, tanto em sua melodia e letra quanto em seus vocais, que são explorados de maneira bem interessante na música.

Uma curiosidade sobre R.E.M. é que ela foi uma música originalmente escrita para a Beyoncé com o nome de Wake Up. Porém, a composição nunca entrou em nenhum disco da cantora. Assim, Pharrell e Ariana adaptaram a canção em alguns pontos e resolveram lançá-la em Sweetener.

Temáticas mais pessoais

Um dos principais diferenciais desse disco são os temas abordados. A pessoalidade em Sweetener passa uma mensagem honesta para quem está ouvindo.

As músicas everytime e better off, por exemplo, falam sobre situações difíceis em um relacionamento amoroso que acabam tornando-o tóxico e autodestrutivo.

breathin expõe o problema da cantora com a ansiedade, como podemos notar no trecho: Feel my blood running/ Swear the sky is falling/ How do I know if this shit’s fabricated? (Sinto meu sangue correndo, juro que o céu está caindo/ Como eu sei se essa merda é inventada?)

A ansiedade retratada é um reflexo das dificuldades que a cantora passou recentemente, principalmente com o atentado terrorista no seu show em Manchester. Tanto é que em get well soon, a canção que encerra o disco, ela aborda novamente o assunto, porém com um tom esperançoso.

Outra curiosidade é que há um longo momento de silêncio ao final dessa música em homenagem e respeito às vítimas da tragédia. Sua duração de 5 minutos e 22 segundos também não é coincidência, ela representa a data do atentado, 22/05.

Para entender um pouco melhor do que estou falando, dê uma olhada na tradução da letra de get well soon aqui.

Destaque do álbum

O destaque de Sweetener sem dúvidas vai para God is a woman, o manifesto feminista do álbum que conta com vocais poderosos.

Cena do videoclipe de God is a woman, de Ariana Grande
Créditos: videoclipe de God is a woman

Essa faixa é uma composição da cantora junto com a equipe de Max Martin, e aborda o tema sexualidade e empoderamento feminino. É uma ótima canção pop que conta também com pitadas de hip hop e trap.

Aqui vale também uma menção honrosa para no tears left to cry, que foi uma escolha acertada para primeiro single e é também uma das melhores músicas do disco.

Veja a letra completa de no tears left to cry.

Vale a pena escutar o Sweetener?

Com certeza! É um álbum divertido e com batidas marcantes, mas que passa uma mensagem por trás das canções. O melhor de tudo é que podemos observar claramente a evolução da cantora neste trabalho.

As canções são muito honestas, dando a impressão de que a artista realmente abriu seu coração para a elaboração do disco, trazendo suas fragilidades à tona e sua vontade de experimentar algo diferente.

Mas nem por isso Sweetener tem uma vibe triste. A mensagem no final das contas é positiva, e as batidas alegres ajudam a passar seu recado principal que intitula o álbum: sempre tentar “adoçar” a vida, transformando situações ruins em coisas boas.

Por fim, Ariana Grande consegue alcançar o objetivo de um bom álbum pop: ser envolvente, cativante e dançante também!

Agora que você já sabe bastante sobre o disco, entre agora neste link para escutar o álbum Sweetener na íntegra! Ah, e não se esqueça de compartilhar o post nas suas redes sociais 🙂

Você também já pode conferir aqui no nosso site as letras e traduções do mais recente álbum de Ariana, thank u, next. Se eu fosse você, já iria decorando as músicas pra cantar junto, porque parece que vem muito hit por aí!

Capa do álbum thank u, next, de Ariana Grande