De fletes e amores

Délcio Tavares

exibições 3.700

Soltei meus cavalos pro fundo do inverno
Tropeiro de outonos só traz folhas mortas
Meus sonhos mais puros beberam estradas
E as duras estradas beberam meus sonhos

Soltei meus cavalos de tropear amores
E as chuvas de julho lavaram os pêlos
E eu vi os segredos de fletes e amores
Que ao sol tem mil cores, e à chuva são negros

Adeus às estradas e aos teus olhos negros
Amar-te é uma adaga voltada pra mim
Adeus horizontes de céus e de prantos
Que os meus olhos brandos gastaram de ti

Voltei pro meu rancho de barro e silêncios
Domei meus cavalos pra campo e mangueira
Que os fletes de estradas só plantam poeira
Que a chuva do inverno despreza e apaga

Add a playlist Tamanho Cifra Imprimir Corrigir