Sou da Cidade

Fernanda Abreu

exibições 1.855

SOU DA CIDADE
SOU DA CIDADE, MEU IRMÃO

Levanto cedo
sonhando acordado
com o pé direito
tô queimando no asfalto

Tô sem trabalho
Descendo a ladeira
tô de bobeira
só não posso dar bandeira

Eu tô na pilha
aí sempre ligado
tô na vigilia
tô contigo, eu não abro

Se eu to na rua
Tem gente do meu lado
fica na tua
que é melhor ficar calado

Se eu tô em casa
no corredor, na sala
fujo da mira
aqui só tem bala perdida

Se chega a noite
só saio protegido
não tem mandinga
o amuleto é minha ginga

Dentro do carro
de oculos escuros
passo batido
não me pede que eu tô duro

Chiclete, fruta
mendigo , prostituta
cada sinal
cada ponto uma disputa

Sao Paulo, Osaka
Seul, Pequim
Rio ou Jacarta
E Bombaim
Tudo é cidade
É tudo igual
Em qualquer lingua
Isso é geral

DA JANELA VEJO A CIDADE ABERTA
INFINITA VISAO
SUAS RUAS, CURVAS, E FORMAS TAO DURAS
PULSA O MEU CORAÇAO

DA JANELA VEJO A CIDADE ALERTA
TAO INJUSTA VISAO
NAS CALÇADAS, PONTES, ESQUINAS, MARQUISES
PULSA O MEU CORAÇAO

Tudo é cidade
É tudo igual
Em qualquer lingua
Isso é geral

SOU DA CIDADE, MEU IRMAO

Alto do morro
de um prédio, um edifício
pra ver estrelas
solto fogos de artificio

Adrenalina
virando aquela esquina
tô amarrado
sonho de concreto armado

Código urbano
feito tambor na mata
é tudo igual
em qualquer lugar do mapa

Isso é a vida
é a natureza humana
não tem saída
é a natureza urbana

Add a playlist Tamanho Cifra Imprimir Corrigir
Composição: Fernanda Abreu / Liminha / Rodrigo Campello · Esse não é o compositor? Nos avise.
Enviada por Caroline
Viu algum erro na letra? Envie sua correção.