Munduruku, Mura, Taguari, Parintintin, Paquiri, Sateré-Mawé

Nas entranhas da mata encantada
No reino sagrado da Mundurukânia
No meio das guerras um tempo de paz
E as tribos guerreiras valentes tribais
Do Tapajós, Madeira, Nhamundá, Paraná-Uaçú
Se unem ao Marupiara, iniciação Munduruku

Prova de força e coragem aos filhos de Karú-Sacaibê
Nos sete caminhos da morte a sorte não basta pra sobreviver

Na caverna dos espíritos, no nicho do jaguar
Na toca das tucandeiras, no remanso das piranhas
No temido serpentário, na cachoeira do inferno
Na praia do jacaré, é preciso audácia bravura e fé

Rito de aclamação, oferendas de honras e glórias
Uma brasa lhe deixa na testa
A marca sagrada da lua nova
Para boa-venturança, unção de Cumacaá
O pajé lhe ensina as histórias do clã
E os segredos da vida tribal

Em sete dias, sete virgens, para amar
Pela vitória triunfal

Adicionar à playlist Tamanho Cifra Imprimir Corrigir
Composição: Aldson Leão / Eneas Dias. Essa informação está errada? Nos avise.
Enviada por Yuri. Revisão por Rafael. Viu algum erro? Envie uma revisão.

Posts relacionados

Ver mais no Blog