Sky Clad No Kansokusha

Itou Kanako

exibições 519

Sky Clad No Kansokusha

Kako wa hanarete yuki mirai wa chikazuku no?
Kansokusha wa itsuka mujun ni kizuku

Kami no tsukuridashita sekai wa kanzen naru mono de zettai no kinkou
Sore wa orikasanaru guuzen uchuu kibo no kiseki
Mamorarete kita geeto kisei wa owatta

Open the eyes
Zero ga kako de ichi ga mirai ima" wa doko ni mo nai
Somuku koto no dekinu rojikku
Open the eyes
Heikousuru musuu no sen sentaku wa boutoku e
Bokura no sonzai sae utagau sono me ni utsuru keshiki wa
Shuusoku o suru

Futatsu no hari ga sasu jikan no gainen mo
Kansokusha shidai de hizumi o miseru

Kami ni ataerareta eichi wa kanarazu "hate" ga aru zettai no ryouiki
Sore wa oroka yue no guuzen manekarezaru kiseki
Tozasarete kita geeto "kisei" wa owatta

Open the eyes
Kousoku e to te o nobashita omoide no parusu ga
Tobikomu fukashigi na rojikku
Open the eye
Uchuu ga mada kakushimotta chitsujo no nai riron
Mugen to yobareta ten to ten ga fusei na chikara o karite
"saisei" o suru

Open the eyes
"zero" ga kako de ichi ga mirai ima wa doko ni mo nai
Somuku koto no dekinu rojikku
Open the eyes
Heikousuru musuu no sen sentaku wa boutoku e
Bokura no sonzai sae utagau sono me ni utsuru keshiki wa
Shuusoku o suru

Observador do Céu Coberto

O passado se afasta, mas o futuro se aproxima?
O observador em algum momento perceberá a contradição

O mundo criado por deus é perfeito e em total equilíbrio
Esta é uma coincidência sobreposta, um milagre de escala universal
Os limites no portão que nos protegia chegou ao fim

Abra os olhos
O zero está no passado e o um no futuro, o presente não está em lugar algum
Em uma lógica que não podemos desobedecer
Abra os olhos
Entre incontáveis linhas lado a lado, a escolha leva à profanação
Mesmo que duvidemos da nossa existência, o cenário refletido nestes olhos
Converge

Mesmo o conceito de tempo especificado pelos dois ponteiros do relógio
Apresenta distorção dependendo do observador

A sabedoria dada por deus definitivamente tem um fim em seu domínio absoluto
Esta é uma coincidência tola, um milagre indesejável
Os limites do portão trancado chegaram ao fim

Abra os olhos
Estendendo a mão em direção à velocidade da luz, o pulso de memórias
Mergulha em uma lógica inexplicável
Abra os olhos
O universo ainda guarda uma teoria sem ordem
O ponto a ponto chamado de infinito empresta um poder injusto
Regenerando

Abra os olhos
O zero está no passado e o um no futuro, o presente não está em lugar algum
Em uma lógica que não podemos desobedecer
Abra os olhos
Entre incontáveis linhas lado a lado, a escolha leva à profanação
Mesmo que duvidemos da nossa existência, o cenário refletido nestes olhos
Converge