Che Storia È

Laura Pausini

exibições 10.851

Che Storia È

Penso che per vivere
Ci vuole verità,
E non e per niente facile
In questa società,
Dove tutto è un limite
Che soffoca la nostra liberta
Ma che senso ha?

Se tutto corre illogico
Morde e se ne va,
In questo palcoscenico
Chiamato umanità,
Che ci travolge l'anima
Senza un'illusione di pietà
Ma chi ci salverà?

Sogni bendati dai lividi e i guai
Intrappolati dentro noi
In questa corsa infinita che ormai
Più nessuno vincera
Così non va

Che storia è?
Che storia è?
Grido di rabbia e mi chiedo perchè
Non ha mai fine
Tutto il dolore che c'è
Che storia è?
Ma una risposta dov'è?

Non ci sono regole
Nessuna dignità
Il male è un'abitudine
È la normalita
Come le promesse che
Domani più nessuno manterrà
Ma chi si salverà?
Treni di notte nell'oscurità
Ma dimmi poi dove si va
Stelle di carta davanti a un falò
E fermarsi non si può
Io dico no

Che storia è?
Che storia è?
Grido di rabbia e ti chiedo perché
Non ha mai fine
Tutto questo odio che c'è
Come vorrei
Che la mia voce arivasse da te
Oltre il confine
Dove il dolore non c'è
Dove il dolore non c'è
Che storia?
Che storia è?
Ma una risposta dov'è
Oltre il confine
Dove il dolore non c'è
Oltre il confine
Dove il dolore non c'è

Que História É

Eu penso que para viver
É necessário verdade,
E não é por nada fácil
Nesta sociedade,
Onde tudo é um limite
Que sufoca a nossa liberdade
Mas que senso há?

Se tudo corre ilógico
Critica e se vai
Neste palco
Chamado humanidade,
Que nos arrasta a alma
Sem uma ilusão de piedade
Mas quem nos salvará?

Sonhos vendados por marcas e problemas
Aprisionados dentro de nós
Nesta corrida infinita que agora
Ninguém mais ganhará
Assim não dá

Que história é?
Que história é?
Grito de raiva e pergunto por que
Nunca tem fim
Toda a dor que existe
Que história é?
Mas uma resposta onde está?

Não existem regras
Nenhuma dignidade
O mal é um hábito
É a normalidade
Como as promessas que
Amanhã mais ninguém manterá
Mas quem se salvará?
Trens na noite na escuridão
Mas me diz então onde ir
Estrelas de papel na frente de uma fogueira
E parar não se pode
Eu digo não

Que história é?
Que história é?
Grito de raiva e pergunto a você por que
Nunca tem fim
Todo este ódio que existe
Como queria
Que a minha voz chegasse a você
Além do confim
Onde a dor não existe
Onde a dor não existe
Que história?
Que história é?
Mas uma resposta onde está?
Além do confim
Onde a dor não existe
Além do confim
Onde a dor não existe