Duerme Conmigo

Joder que estoy mal cosido
Ay, házmelo despacito
No te rías, que es verdad
Que no me lo ha hecho nadie
Que duermo sólito
Que mi cama está hecha donde no hay ventanas
Donde las miradas tienen ganas
Donde hay lunas de tela y un sol navajero
De noches en vela
Donde llegó el olvido a soltar la melena
Donde nunca pienso si me quieres
Donde todo es mentira y quejíos de pena
Desconchan paredes

Duerme conmigo, si eres piedra da igual
Yo seré pedregoso camino
Duerme conmigo, yo te canto, te arrullo
Te arropo, te abrigo, te mimo

Se que me cuentan los días
Los abrazos sin hallarte
Y me recuesto en el suelo y
Se me eriza el pelo en solo recordarte
Que mi almohada está llena de cuando no estabas
De canciones que nunca cantabas
De todo, de nada, de besos de esos que nunca me dabas
Y de un tiempo a esta parte decido soñarte
Embrear mi camino con lodo
Y cagándome en todo volar, y ya ves
Despierto como me acosté

Duerme conmigo, si eres piedra da igual
Yo seré pedregoso camino
Duerme conmigo, yo te canto, te arrullo
Te arropo, te abrigo, te mimo

Y me mira de reojo cuando cree que no la miro
Como no voy a mirar si arde como el rastrojo en cuanto me descuido
Que su mirada es un tiro de sal al que ose chorar en el bosque frutal
De su libertad, de mi soledad, de nuestro vendaval

Duerme conmigo, si eres piedra da igual
Yo seré pedregoso camino
Duerme conmigo, yo te canto, te arrullo
Te arropo, te abrigo, te mimo
Y si eres aire te irás

Durma Comigo

Foda-se que eu estou errado
Vai, faça mais devagar
Não ria, é verdade
Que não me fez nada
Que durmo sozinho
Que a minha cama está posta onde não tem janelas
Onde os olhares tem vontades
Onde tem luas de pano e um sol esperto
Noites com velas
Onde chego e me esqueço de soltar o cabelo
Onde nunca penso se me quer
Onde tudo é mentira, e queijos de pena
Descascam paredes

Durma comigo, se você é pedra, não me importa
Já será pedregoso o caminho
Durma comigo, eu te canto, te faço carinho
Te cubro, te abrigo te mimo

O que me costa todos os dias
Os abraços sem encontros
E me encosto no solo e
Fico arrepiado só de me recordar de você
O meu travesseiro está cheio de vazios
De musicas nunca cantadas
De tudo, de nada, de beijos, de coisa que nunca me dava
E de um tempo para cá decidiu sonhar
Pavimentar o meu caminho com lodo
E me colidindo como tudo, voar, está vendo
Despertado igual a quando me deitei

Durma comigo, se você é pedra, não me importa
Já será pedregoso o caminho
Durma comigo, eu te canto, te faço carinho
Te cubro, te abrigo te mimo

E me olha de canto, quando acha que não a estou vendo
Como não vou ver, se você arde como restolho quando eu me descuido
Que o seu olhar é um tido de sal que ousa chorar no bosque de frutas
A sua liberdade, a minha solidariedade, o nosso vendaval

Durma comigo, se for como pedra, tanto faz
Eu serei o caminho pedregoso
Durma comigo, eu te canto, de cuido
Te cubro, te dou abrigo, te mimo
E se você for ar você irá

Original Adicionar à playlist Tamanho Cifra Imprimir Corrigir

Posts relacionados

Ver mais posts