Forgotten Sons

Armalite, street lights, nightsights
Searching the roofs for a sniper, a viper, a fighter
Death in the shadows he'll maim you, he'll wound you, he'll killyou
For a long forgotten cause, on not so foreign shores
Boys baptised in wars
Morphine, chill scream, bad dream
Serving as numbers on dogtags, flakrags, sandbags
Your girl has married your best friend, loves end, poison pen
Your flesh will always creep, tossing turning sleep
The wounds that burn so deep

Your mother sits on the edge of the world
W when the cameras start to roll
Panoramic viewpoint resurrect the killing fold
Your father drains another beer, he's one of the few that cares
Crawling behind a Saracen's hull from the safety of his livingroom chwair
Forgotten sons, forgotten sons, forgotten sons

And so as I patrol in the valley of the shadow of the tricolour
I must fear evil, for I am but mortal and mortals can only die
Asking questions, pleading answers from the nameless facelesswatchers
That stalk the carpeted corridors of Whitehall

Who orders desecration, mutilation, verbal masturbation
I in the guarded bureaucratic wombs

Minister, minister care for your children, order them not intodamnation
To eliminate those who would trespass against you
For whose is the kingdom, the power, the glory forever and ever,Amen
Halt who goes there, Death, approach friend

You're just another coffin on its way down the emerald aisle
When your children's stony glances mourn your death in aterrorist's smile
The bomber's arm placing fiery gifts on the supermarket shelves
Alley sings with shrapnel detonate a temporary hell
Forgotten Sons

From the dole queue to the regiment a profession in a flash
But remember Monday signings when from door to door you dash
On the news a nation mourns you unknown soldier, count the cost
For a second you'll be famous but labelled posthumous

Forgotten sons, forgotten sons
Peace on earth and mercy mild, Mother Brown has lost her child
Just another Forgotten Son

Filhos Esquecidos

Armalite, luzes da rua, visões noturnas
Procurando nos telhados por um atirador, um vilão, um lutador
Morte nas sombras ele lhe aleijará, ele lhe ferirá, ele lhe matará
Por uma causa há muito perdida, em fronteiras não tão estrangeiras
Garotos batisados em guerras
Morfina, grito congelante, sonho ruim
Servindo como números em placas de identificação, trapos de estilhaços, sacos de areia
Sua garota casou com seu melhor amigo, o amor termina, caneta envenenada
Sua carne sempre se arrepiará, sono agitado e revirado
A ferida que queima tão fundo

Sua mãe senta na margem do mundo
Quando as câmeras começam a rodar
Ponto de vista panorâmico ressuscita a dobra da morte
Seu pai seca outra cerveja, ele é um dos poucos que se importa
Arrastando-se atras de um casco sarraceno da segurança de sua cadeira da sala de estar
Filhos esquecidos, filhos esquecidos, filhos esquecidos

E enquanto eu patrulho no vale das sombras do tricolor
Eu devo temer o mal, pois sou um mero mortal e mortais só podem morrer
Fazendo preguntas, pleiteando respostas dos observadores sem nome e sem face
Que espreitam os corredores acarpetados da prefeitura

Quem ordena profanação, mutilação, masturbação verbal
Nos úteros burocráticos sob guarda

Ministro, ministro, cuide de suas crianças, não os mande para a danação
Para eliminar aqueles que transgredirão contra você
Pois de quem é o reino, o poder, a glória para sempre e sempre, Amém
Alto quem vem lá, Morte, aproxime-se amigo

Você é apenas mais um caixão em seu caminho para a passagem esmeralda
Quando os olhares petrificados de seus filhos lamentarem sua morte em um sorriso terrorista
O braço do bombardeiro colocando presentes ardentes nas prateleiras de supermercados
Sinais em becos cheios de fragmentos de bombas detonam um inferno temporário
Filhos esquecidos

Da fila de donativos ao regimento uma profissão em um flash
Mas lembre-se das assinaturas de domingo quando você correr de porta em porta
Nas notícias uma nação lamenta o lamenta, soldado desconhecido conta o preço
Por um segundo você será famoso mas rotulado postumamente

Filhos esquecidos, filhos esquecidos
Paz na terra e suave piedade, Mãe Brown perdeu seu filho
Apenas mais um filho esquecido

Original Adicionar à playlist Tamanho Cifra Imprimir Corrigir
Composição: Brian Jelliman / Derek William Dick / Diz Minnitt / Mark Kelly / Mick Pointer / Pete Trewavas / Steve Rothery · Esse não é o compositor? Nos avise.
Traduzida por Inalda
Viu algum erro na tradução? Envie sua correção.