Foto do artista Xamã

Central do Brasil (4:20)

Xamã


Amor
Te vejo 4: 20 lá em casa
Nós que bota ritmo e embrasa
Vou devorar você, devorar você
Sou alguém que quase sempre se atrasa
Mas que não te troca por nada
Sou seu marrom glacê, seu maior prazer

Vi a minha vida decolar
De 875, Realengo, Tanque, Jacarepaguá
O trem das onze cansei de rimar
Fui quase sempre tão sozinho
Sempre tão assim, meu bem
Vamo vencer um do lá si já
Quero amor pra quem me ame
E mais amor pra quem me odiar
Quero um amor sabor maracujá
Um jazz, um blues, um rock sim
Aroma rosa espinho

Amor
Me arranha e dá aquela sentada
Toda postura de malvada
Sou seu marrom glacê, seu maior prazer
Mô, eu sei que nós não vale nada
Nosso love song é piada
Quero namorar você
Quero marolar você

Quero ver o lar de lá, de lá
Tomar café olhando o mar
Subir num pé de manga
Fazer um verso doce de sabor pitanga

Somos filósofos de bar
Em qualquer parte do Rio de Janeiro você pode me encontrar
Quem não conhece, já ouviu falar
Bágua Rec, Xamãzin, ouviu?
Xamãzin, meu bem
Tá bom, mas quero melhorar
Num gosto de sapato, mas nasci pra trabalhar
Quem fala mal de mim
Ou quer ser eu, ou quer me dar
Meu verso fica bom assim
Desculpa, eu sou assim

Amor
Te vejo 4: 20 lá em casa
Nós que bota ritmo e embrasa
Vou devorar você, devorar você
Sou alguém que quase sempre se atrasa
Mas que não te troca por nada
Sou seu marrom glacê, eu sou seu maior prazer

Tomar café olhando o mar
Subir num pé de manga
Fazer um verso doce de sabor pitanga

Adicionar à playlist Tamanho Cifra Imprimir Corrigir