Respire

Approche-toi petit, écoute-moi gamin
Je vais te raconter l'histoire de l'être humain
Au début y avait rien au début c'était bien
La nature avançait y avait pas de chemin
Puis l'homme a débarqué avec ses gros souliers
Des coups d'pieds dans la gueule pour se faire respecter
Des routes à sens unique il s'est mis à tracer
Les flèches dans la plaine se sont multipliées
Et tous les éléments se sont vus maîtrisés
En 2 temps 3 mouvements l'histoire était pliée
C'est pas demain la veille qu'on fera marche arrière
On a même commencé à polluer le désert

Il faut que tu respires, et ça c'est rien de le dire
Tu vas pas mourir de rire, et c'est pas rien de le dire

D'ici quelques années on aura bouffé la feuille
Et tes petits-enfants ils n'auront plus qu'un oeil
En plein milieu du front ils te demanderont
Pourquoi toi t'en as deux tu passeras pour un con
Ils te diront comment t'as pu laisser faire ça
T'auras beau te défendre leur expliquer tout bas
C'est pas ma faute à moi, c'est la faute aux anciens
Mais y aura plus personne pour te laver les mains
Tu leur raconteras l'époque où tu pouvais
Manger des fruits dans l'herbe allongé dans les prés
Y avait des animaux partout dans la forêt
Au début du printemps, les oiseaux revenaient

Il faut que tu respires, et ça c'est rien de le dire
Tu vas pas mourir de rire, et c'est pas rien de le dire
Il faut que tu respires, c'est demain que tout empire
Tu vas pas mourir de rire, et c'est pas rien de le dire

Le pire dans cette histoire c'est qu'on est des esclaves
Quelque part assassin, ici bien incapable
De regarder les arbres sans se sentir coupable
A moitié défroqués, 100 pour cent misérables
Alors voilà petit, l'histoire de l'être humain
C'est pas joli joli, et j'connais pas la fin
T'es pas né dans un chou mais plutôt dans un trou
Qu'on remplit tous les jours comme une fosse à purin

Respirar

Aproxime-se garoto, me escute, criança
vou te contar a história do ser humano
No princípio não havia nada, no início estava tudo bem
A natureza avançava, e não havia outro caminho
Mas o homem chegou com seus sapatos de sola grossa
Dando chutes na cara para se fazer respeitar
Estradas de sentido único, ele começou a desenhar
As setas na planície são multiplicadas
E todos os elementos são controlados
Em 2 vezes 3 movimentos a história foi dobrada
Não é amanhã o dia em que iremos reverter
Nós até mesmo começamos a poluir o deserto

É necessário que você respire, e isso não é nada para dizer
Você não vai morrer de rir, e não há nada a dizer

Daqui a alguns anos, teremos devorado todas as folhas
E seus netos não terão mais que um olho
bem no meio da testa e eles te perguntarão
Por que você tem dois, você passará por um tolo
Eles vão te dizer como você pode deixar isso acontecer
Você tentará bem se defender, os explicando em voz baixa
Não foi minha culpa, foi culpa dos meus ancestrais
Mas não haverá ninguém para lavar suas mãos
Você vai contar da época em que podia
Comer as frutas deitado na grama nos prados
Que havia animais em toda parte nas florestas
E que no início na primavera os pássaros retornavam

É necessário que você respire, e isso não é nada para dizer
Você não vai morrer de rir, e não há nada a dizer
É necessário que você respire, é amanhã que tudo piorará
Você não vai morrer de rir, e não há nada a dizer

O pior dessa história é que somos escravos
As vezes assassinos e agora perfeitamente incapazes
De olhar as árvores sem sentir-se culpado
Metade excomungados, 100% miseráveis
Então criança, essa é a história do ser humano
Não é muito bonita e eu não sei como termina
Você não nasceu em um repolho mas sim em um buraco
Que enchemos a cada dia como um poço de estrume

Original Adicionar à playlist Tamanho Cifra Imprimir Corrigir