Crazy Mary

She lived on the curve of the road
In an old, tar-paper shack
On the south side of the town
On the wrong side of the tracks

Sometimes on the way into town we'd say
Mama, can we stop and give her a ride?
Sometimes we did
But her hands flew from her side
Wild eyed, crazy Mary

Down a long dirt road, past the Parson's place
That old blue car we used to race
Little country store
With a sign tacked to the side
Said: No L-O-I-T-E-A-R-R-I-N-G Allowed

Underneath that sign
Always congregated quite a crowd
Take a bottle, drink it down, pass it around
Take a bottle, drink it down, pass it around
Take a bottle, drink it down, pass it
Pass it a, pass it around

One night thunder cracked
Mercy backed outside her window sill
Dreamed I was flying high above the trees
Over the hills
Looked down into the house of Mary
Bare bulb hung, newspaper-covered walls
And Mary rising above it all
Oh oh oh oh
Oh oh oh oh
Oh oh oh oh
Next morning on the way into town
Saw some skid marks and followed them around
Over the curve, through the fields
Into the house of Mary

That what you fear the most
Could meet you halfway
That what you fear the most
Could meet you halfway

Take a bottle, drink it down, pass it around
Take a bottle drink it down pass it, pass it around (pass it around)
Take a bottle drink it down pass it, pass it a, pass it around
Pass it a, pass it around
(Take a bottle drink it down pass it, pass it around) oh yeah
Pass it
(Around) pass it
Pass it, pass it (around, around, around)
Around
Around, around
Pass it around

Maria Louca

Ela morava na curva da estrada
Num barraco velho feito de papelão alcatroado
No lado sul da cidade
Do lado errado dos trilhos do trem

Às vezes, no caminho para a cidade
Perguntávamos "mamãe podemos parar e lhe dar uma carona?"
De vez em quando dávamos
Mas suas mãos não paravam quietas
Mary Louca, de olhos selvagens

Descendo uma comprida estrada de terra, depois da casa dos Parsons
Havia um velho carro azul no qual a gente corria
E uma mercearia caipira
Com uma placa pendurada
Que dizia: "V-A-D-I-A-G-E-M Proibida"

Embaixo daquela placa
Sempre juntava bastante gente
Pegue uma garrafa, tome um grande gole, passe adiante
Pegue uma garrafa, tome um grande gole, passe adiante
Pegue uma garrafa, tome um grande gole, passe
Passe, passe adiante

Uma noite, um trovão arrebentou
A piedade escondeu-se atrás do meu parapeito
Sonhei que estava voando bem alto, acima das árvores
Além das colinas
Avistei a casa da Mary
Uma lâmpada ligada, paredes cobertas de jornais
E Mary ascendendo acima de tudo
Oh oh oh oh
Oh oh oh oh
Oh oh oh oh
Na manhã seguinte, no caminho para a cidade
Vi algumas marcas de freadas e as segui
Fazendo a curva, através dos campos
Para dentro da casa da Mary

Aquilo que você mais teme
Poderia te encontrar no meio do caminho
Aquilo que você mais teme
Poderia te encontrar no meio do caminho

Pegue uma garrafa, tome um grande gole, passe adiante
Pegue uma garrafa, tome um grande gole, passe, passe adiante (passe adiante)
Pegue uma garrafa, tome um grande gole, passe, passe, passe adiante
Passe, passe adiante
(Pegue uma garrafa, tome um grande gole, passe, passe adiante) oh, yeah
Passe
(Adiante) passe
Passe, passe (adiante, adiante, adiante)
Adiante
Adiante, adiante
Passe adiante

Original Adicionar à playlist Tamanho Cifra Imprimir Corrigir
Composição: Victoria Williams. Essa informação está errada? Nos avise.
Traduzida por thamires. Legendado por Lara. Revisões por 4 pessoas . Viu algum erro? Envie uma revisão.


Posts relacionados

Ver mais no Blog