Acá Entre Nos

Por presumir, a mis amigos les conté
Que, en el amor, ninguna pena me aniquila
Que pa' probarles, de tus besos me olvidé
Y me bastaron unos tragos de tequila

Les platiqué que me encontré con otro amor
Y, que en sus brazos, fui dejando de quererte
Que te aborrezco desde el día de tu traición
Y que hay momentos que he deseado hasta tu muerte

Acá entre nos
Quiero que sepas la verdad
No te he dejado de adorar
Allá en mi triste soledad
Me han dado ganas de gritar
Salir corriendo y preguntar
Qué es lo que ha sido de tu vida

Acá entre nos
Siempre te voy a recordar
Y hoy, que a mi lado ya no estás
No queda más que confesar
Que ya no puedo soportar
Que estoy odiando sin odiar
Porque respiro por la herida

Y ay, Martín
No cabe duda que también de dolor se canta
Cuando llorar no se puede

Acá entre nos
Quiero que sepas la verdad
No te he dejado de adorar
Allá en mi triste soledad
Me han dado ganas de gritar
Salir corriendo y preguntar
Qué es lo que ha sido de tu vida

Acá entre nos
Siempre te voy a recordar
Y hoy, que a mi lado ya no estás
No queda más que confesar
Que ya no puedo soportar
Que estoy odiando sin odiar
Porque respiro por la herida

Aqui Entre Nós

Por presumir, aos meus amigos contei
Que no amor nenhuma pena me aniquila
Que para lhes provar, dos teus beijos me esqueci
E me bastaram uns goles de tequila

Lhes disse que me encontrei com outro amor
E que nos seus braços fui deixando de te querer
Que te aborreço desde o dia da tua traição
E que há momentos que desejei até a tua morte

Aqui entre nós
Quero que saiba a verdade
Não deixei de te adorar
Lá na minha triste solidão
Me deu vontade de gritar
Sair correndo e perguntar que é
O que foi da tua vida

Aqui entre nós
Sempre vou te lembrar
E hoje que ao meu lafo já não estás
Não resta mais confessar
Que já não posso suportar
Que estou odiando sem odiar
Porque respiro pela ferida

E ai, Martin
Não tem dúvidas que tembém de dor se canta
Quando chorar não se pode

Aqui entre nós
Quero que saiba a verdade
Não deixei de te adorar
Lá na minha triste solidão
Me deu vontade de gritar
Sair correndo e perguntar
O que é que foi da tua vida

Aqui entre nós
Sempre vou te lembrar
E hoje que ao meu lafo já não estás
Não resta mais confessar
Que já não posso suportar
Que estou odiando sem odiar
Porque respiro pela ferida

Original Adicionar à playlist Tamanho Cifra Imprimir Corrigir
Composição: Martín Urieta. Essa informação está errada? Nos avise.
Traduzida por Messias. Legendado por Jéssica. Revisões por 3 pessoas . Viu algum erro? Envie uma revisão.

Posts relacionados

Ver mais no Blog