Foto do artista A286

Catarse (part. Laércio Allan, Naldo Vieira e Yasmin Manaresi)

A286


O mundo gira e girou, como profetizou o ditado
Similar a mim, desassistido e ignorado
E todo dia se esquecem, toda criança cresce
Ah, se soubessem que a saudade de tudo que esquecem
Um dia ainda há de vos matar

E quantos livros já li, vi resposta pra tudo
Foi quando descobri e entendi
Saber não é e sentir no bagulho
E vocês sabem demais, eu vi tudo aquilo que postam
Mas se conseguissem ao menos
Ser um terço daquilo tudo que cobram

Inteligente? Mal sabem o mar de insegurança
Meu martírio a cada passo repleto de medo e desesperança
Entre papéis invertidos, desgosto em excesso
Não tentar é pior, Reinaldo
Ofegante no cemitério dos vivos
Enquanto ainda caçam culpados
Traição é natureza, tô cansado desse quarto
Morrendo de incerteza, tentando não ser achado

Queria ser como os outros e rir da desgraça, sem vergonha
Com uma etiqueta de preço estampada no meio cara
Priorizei a honra e pela lealdade sacrifiquei meu sorriso, aprendi
Não é na dor, é na felicidade que se revela o inimigo
Tô tentando resgatar a vontade do início
Nada é mais como antes
O que vivemos tá sendo esquecido
Pressagiando meus últimos instantes aqui

Nunca fui de contar vantagem e nem apelar atenção
Sei o quanto de espaço já mendiguei e o que me traz a solidão
Doze horas na beira de palco pra mostrar meu sonho
Pra dois bêbados e três gatos pingado
Fora o que a mente não recorda
Quase 50 km na sola, sem o do busão pra volta
Era meu sonho, que bosta!

Onde quem só vê o jogo vai jurar saber mais que quem joga
Priorizei a consciência, não a reputação
Com integridade em tudo que fiz, é quente
As tattoo não é em vão
Posso falar com precisão, sem exitar
Rejeitei o que muitos de vocês dariam até o cu pra tá

Hipocrisia é não pode falar que entre nós vários se corrompeu
E seu sucesso incomoda até o prego, cujo a causa cê defendeu
Que enquanto minha graça é ver o progresso
Do que pra ser, me fudi sozinho
A do arrombado é ver o que eu faço e falar mal de mim
Tá valendo, acho que é o legado dos verdadeiros
Onde tudo parece ser corruptível e ter um preço
Seria injusto não pagar a persistência do erro
E de novo confiar ao extremo

É quente, será que minha ambição é maior que meu talento?
Só sei que nada sei e o pouco que aprendi foi da pior forma
Cansei do padrão de revolução daqui e criei minha própria
Sucesso? É a cabeça no travesseiro bem
Convicto que o melhor de mim nunca dependeu do mal de ninguém

Adicionar à playlist Tamanho Cifra Imprimir Corrigir