Planos de Papel

exibições 3.352

Deus, eu passo os sete dias úteis
Traçando nove dias fúteis
Fazendo planos de papel
Em quartos cinzas de aluguel
E vou dormir
Entre as paredes do hotel do sossego
Meu amor

Sim no contracanto do meu leito
Guardo um punhal cravado ao peito
Tingindo a cama e o lençol
Por uma fresta invade o sol
E vou deitar
Entre as palmeiras desenhadas nos jornais
Meu amor

Ah, mas que você espera de mim?
Que o consumado eu vá repetir, não
Sim o que me importa neste instante
É esse não me importar constante
Esse sorriso que eu guardei
Nessa gaveta a qual fechei
Pra eu dormir
Com a cabeça no lugar que eu deixei
Meu amor