Quando não se deve nada que se pode olhar,
Olhar de uma criança. Quando a vida te
Convida pra uma dança e a derrota lhe
Pergunta: O que vencer?

Quando não se deve nada e o nada ainda
Sim é a esperança. Quando a guerra te
Convida pra uma dança e a vitoria lhe
Pergunta: O que é perder?

Se nem assim todo mal que há no mundo
Espera ainda que a bondade irá colher
No teu rosto se projeta bem no fundo desse poço
E a tua imagem te pergunta: Quem é você?

E luta ainda por migalhas dessa herança
E não se cansa dessa vida de sofrer
E dorme em volta pensamento de lembrança
Que nunca pensam ou ao menos lembra de você

E luta ainda por migalhas dessa herança (quem é você?)
E não se cansa dessa vida de sofrer (quem é você?)
E dorme em volta pensamento de lembrança (quem é você?)
Que nunca pensam ou ao menos lembra de você (quem é você?)

E transforma água limpa em podre rios (quem é você?)
E não sabe exatamente o que é viver (quem é você?)
E trassou a vida inteira um caminho. Sem saber
E destino mudou. É pra sempre sofrer.
É pra sempre sofrer. (quem é você?)

Quando não se deve nada que se pode olhar,
Olhar de uma criança. Quando a vida te
Convida pra uma dança e a derrota lhe
Pergunta o que vencer.
É pra sempre sofrer.
É pra sempre sofrer.
É pra sempre sofrer.

Adicionar à playlist Tamanho Cifra Imprimir Corrigir

Posts relacionados

Ver mais posts