Vou perguntar ao mais vidente
Se o meu futuro será sorridente
Vou consultar quem tem visão
Se ainda vale a pena fazer tensão
Quem é capaz de adivinhar

Se a minha fonte vai correr ou secar?
Quem é capaz de me dizer
Se a minha casa, minha força de querer?
Quem é capaz de aconselhar
Se hei de estar aqui ou tocar de lugar?
Quem é capaz de assegurar

Se no futuro posso respirar?
Quem é capaz de me indicar
Se eu hei de andar depressa ou devagar?
Quem é capaz de me tirar
Desta incerteza, se hei de rir ou chorar?
Quem é capaz de me ver na mão

Na linha-vida qual a duração?
Quem é capaz de me informar
Se a linha é reta ou se vai entortar?
Quem é capaz de aconselhar
Se não for certa, se a hei de cortar?

Vou perguntar ao mais vidente
Se o meu futuro será sorridente
Vou consultar quem tem visão
Se ainda vale a pena fazer tensão
Quem é capaz me indicar
Se eu hei de andar depressa ou devagar?

Quem é capaz de me tirar
Desta incerteza, se hei de rir ou chorar?
Quem é capaz de me ver na mão
Na linha-vida qual a duração?
Quem é capaz de me informar
Se a linha é reta ou se vai entortar?

Quem é capaz de aconselhar
Se não for certa, se a hei de cortar?
Quem é capaz de aconselhar
Se não for certa, se a hei de cortar?
Se a hei de cortar, se a hei de cortar
Se a hei de cortar, se a hei de cortar
Cortar, cortar, corta, cortar, cortar...

Adicionar à playlist Tamanho Cifra Imprimir Corrigir
Composição: António Joaquim Rodrigues Ribeiro / Joaquim Campos Silva. Essa informação está errada? Nos avise.

Posts relacionados

Ver mais no Blog