Filha do Patrão

exibições 84.928

Eu sou muito feliz por ser vaqueiro,
Me criei no sertão pegando gado,
Com um simples olhar de uma pequena,
Para sempre fiquei apaixonado.

E eu pensava que era brincadeira,
Numa noite tão linda de fogueira,
Se querer segurei na sua mão,
Se eu contar, pouca gente me acredita,
Que essa jovem tão meiga e tão bonita,
É a filha mais nova do patrão.

Quando são 5 horas da manhã,
Penso em Deus e pra luta me levanto,
E avisto no pátio da fazenda,
Vejo o gado malhando em todo canto,
E eu por ser da fazenda bom vaqueiro,
Vô de pés de ponta pelo terreiro,
Atendendo aos impulsos da paixão,
Sem temer a carranca do pai dela,
Da calçada eu me encosto na janela,
E dô um beijo na filha do patrão.

Sem temer a carranca do pai dela,
Da calçada eu me encosto na janela,
E dô um beijo na filha do patrão.

No final de semana tem forró
Eu termino mais cedo o meu trabalho