exibições 768
Foto do artista Balakubaku

Saudade de Ocê/ Anunciação

Balakubaku


Não se admire se um dia
Um beija-flor invadir
A porta da tua casa
Te der um beijo e partir
Fui eu que mandei o beijo
Que é pra matar meu desejo
Faz tempo que eu não te vejo
Ai que saudade de ocê

Se um dia ocê se lembrar
Escreva uma carta pra mim
Bote logo no correio
Com frases dizendo assim:
"Faz tempo que eu não te vejo
E pra matar meu desejo
Lhe mando um monte de beijo
Ai que saudade sem fim"

Se um dia ocê recordar
Daquele nosso namoro
Quando eu ia viajar
Você caia no choro
E eu chorando pela estrada
Mas, o que eu posso fazer ?
Trabalhar é minha sina
Eu gosto mesmo é de ocê.

Na bruma leve das paixões que vêm de dentro
Tu vens chegando pra brincar no meu quintal
No teu cavalo peito nu cabelo ao vento
E o sol quarando nossas roupas no varal

Na bruma leve das paixões que vêm de dentro
Tu vens chegando pra brincar no meu quintal
No teu cavalo peito nu cabelo ao vento
E o sol quarando nossas roupas no varal

Tu vens, tu vens
Eu já escuto os teus sinais

Tu vens, tu vens
Eu já escuto os teus sinais

E a voz do anjo sussurrou no meu ouvido
E eu não duvido já escuto os teus sinais
Que tu virias numa manhã de domingo
Eu te anuncio nos sinos das catedrais

Tu vens, tu vens
Eu já escuto os teus sinais

Tu vens, tu vens
Eu já escuto os teus sinais

Adicionar à playlist Tamanho Cifra Imprimir Corrigir