Conheci uma garota tão travessa da beça
Não sabia que um dia
Ela me levaria
À uma crise existencial na beira do abismo
Seu nome era VANESSA, gata elétrica louca
Blues e Mels e muitos
Mas seus olhos roqueiros
Me hipnotizaram, eu fui beijado na boca
Neste dia em diante pouca paz
Muito lirismo e pouca roupa
E a VANESSA atravessava a meia-noite
Com a lua cheia sobre a cabeça
Ninguém sabe se ela vira vampira
Meu bem não desapareça
Ela era uma condessa descendente total
De uma canastra muito nobre
Ela sabia o canal de encontrar
No meu corpo o sabor da pureza
Transformou a castidade na sua alta defesa
Eu na minha consciência não sabia de nada
Que ela era uma vampira, muito louca pirada
Os letreiros luminosos da cidade
Não faziam os efeitos que seus olhos refletiam
E a VANESSA atravessa...
Ela estava interessada no meu sangue, pois é
Eu fiquei apaixonado por aquela mulher
Hoje eu saio, o outro vive pela rua
Delirando de saudades suas
Mas encontro um dia destes com VANESSA querida
Eu ainda amo tanto esta vampira bandida
O que pouco me interessa nesta vida minha alma
Quero ter minha VANESSA com seu beijo total
E a VANESSA atravessa...

Adicionar à playlist Tamanho Cifra Imprimir Corrigir