Tempero latino: o sucesso do reggaeton no Brasil

Reggaeton · Por Mariana Medina

14 de Fevereiro de 2019, às 17:00

Apesar da proximidade geográfica do Brasil com os demais países que falam espanhol, os ritmos latinos nunca foram muito tocados no país. Talvez pela barreira do idioma ou talvez por não se enxergar tão latino assim, os nomes latinos no Brasil se resumiam — até então — a RBD, Shakira e Enrique Iglesias. O que diríamos então do reggaeton no Brasil?

É impossível negar que a música latina é muito plural e, ao mesmo tempo, singular em cada país da América Latina (sabia que, inclusive, temos uma versão do Letras em espanhol?). Contudo, uma música que une culturas e é capaz de colocar todos para dançar é o reggaeton. Pasito a pasito, o reggaeton explodiu no Brasil e mostramos para você agora a trajetória desse boom no cenário musical.

As raízes do reggaeton

A verdadeira origem do reggaeton foi no Panamá, em 1970, mas ele foi popularizado somente em 1990. O ritmo é uma fusão do reggae, do hip hop e do dance hall (ritmo jamaicano), misturando pitadas sensuais e dançantes de diversos outros ritmos latinos.

Ouça aqui as músicas de Vico C, um dos primeiros artistas do estilo reggaeton

Bailado nos países latinos há anos — se você conhece a música da Gasolina, vale recordar que ela foi lançada em 2004 — até então, o reggaeton ainda era bem tímido e pouco difundido no Brasil.

Essa tendência só começou a bombar em terras brasileiras em meados de 2016, com uma fusão entre ritmos brasileiros e latinos trazida pela música Sim ou Não, de Anitta com Maluma.

Mas tudo mudou em 2017, com o sucesso do hit Despacito, de Luis Fonsi e Daddy Yankee, sendo este último um dos maiores nomes do gênero. Com quase 6 bilhões de visualizações no YouTube, a música abriu as portas para o reggaeton no Brasil.

A explosão do reggaeton no Brasil

Depois de Despacito, sucessos como Mi Gente, de J Balvin e Sin Contrato, de Maluma, não passaram despercebidos no Brasil. E não para por aí: artistas brasileiras como Anitta e Claudia Leitte lançaram seus próprios hits reggaetoneros em parceria com nomes como os próprios Maluma e J Balvin.

Ouça uma seleção de reggaeton aqui

É notável a recente aceitação do reggaeton no Brasil e, além das colaborações de sucesso entre artistas nacionais e latinos, alguns intérpretes brasileiros também vêm apostando no reggaeton para ampliar o alcance de seu trabalho para o público latino. Uma prova disso é o sucesso internacional da cantora Anitta, que após lançar duetos com Maluma e J Balvin, também apostou em singles totalmente em espanhol, como Paradinha, Medicina e o mais recente, Veneno.

Outro ponto que não pode passar despercebido na fusão entre a música brasileira e o reggaeton são as batidas do ritmo latino que vêm sendo incorporadas em outros cenários musicais, como o pop e até mesmo o sertanejo, em produções como Loka, de Simone e Simaria com (novamente) Anitta!

O reggaeton no mundo

Além da chegada do reggaeton no Brasil, o ritmo ultrapassou definitivamente a fronteira dos países que falam espanhol e chegou ao mercado da música pop internacional. Esse sucesso mundial foi marcado por hits como Échame La Culpa, de Luis Fonsi e Demi Lovato, e versões latinas de músicas como Sorry, de Justin Bieber e Shape of You, de Ed Sheeran.

Com esse boom do ritmo em todo o mundo, artistas latinos já famosos no cenário pop ou romântico também estão apostando na pegada mais dançante e urbana do reggaeton, como Maite Perroni (Ex-RBD), Shakira, Thalia e Ricky Martin.

Vários desses nomes se associaram aos grandes artistas do reggaeton e lançaram músicas recentes que bombaram no Spotify e no YouTube, tais como Clandestino, de Shakira e Maluma, Vente Pa’Ca, de Ricky Martin e Maluma, e um dos mais recentes, No Me Acuerdo Thalía e Natti Natasha.

E você, o que acha dessa repercussão do reggaeton no Brasil? Ouça essa playlist com o melhor da música latina de 2018: tem Nicky Jam, Sebastián Yatra, Romeo Santos, Thalía e muito mais.

Playlist: o melhor da música latina de 2018