Erodent

The trails of existence thrust into the future
A future that crumbles, riddance by revulsion
Woven roots uphold the ground, earthly bound
The ground we walk, the ground we fought

Rivers drift into eternity, draining the potency
The endless maze, the blinding haze
Shimmering uphold the course
(The plains we scour, the plains we tear)

Waves that rave the coastal line
Rain that reaps the breeding soil
Wind that pierces the heart of man
The fire that burns all creatures around

The trails of existence, entwined through history
Eras that passed in degenerative haste
Grind the roots, withering grounds
The ground we walked, the ground we fought

Waves that rave the coastal line
Rain that reaps the breeding soil
Wind that pierces the heart of man
The fire that burns all creatures around
The ground we walked, the ground we fought

A past that holds the dawn of man
A march that crumbles stones to sand
The vast exploration, the last ravage
The prodigies of ruination

Erodent
A past that holds the dawn of man
Erodent
A march that crumbles stones to sand
The trails of existence, entwined through history

Waves that rave the coastal line
Rain that reaps the breeding soil
Wind that pierces the heart of man
The fire that burns all creatures around

Erodente

As trilhas de existência empurrado para o futuro
Um futuro que se desintegra, riddance por repulsa
Raízes tecidos defender a terra, terrestre ligado
O chão que pisamos, o chão lutamos

Rivers deriva para a eternidade, drenando a potência
O labirinto interminável, a névoa cegante
Cintilante defender o curso
(As planícies que percorrem, as planícies nós rasgamos)

Ondas que elogiam a linha costeira
Chuva que colhe o solo fértil
Vento que perfura o coração do homem
O fogo que queima todas as criaturas ao redor

As trilhas de existência, entrelaçados com a história
Eras que passavam apressadamente degenerativa
Moer as raízes, fundamentos minguantes
O terreno em que entramos, o chão lutamos

Ondas que elogiam a linha costeira
Chuva que colhe o solo fértil
Vento que perfura o coração do homem
O fogo que queima todas as criaturas ao redor
O terreno em que entramos, o chão lutamos

Um passado que mantém a aurora do homem
Uma marcha que se desintegra pedras de areia
A grande exploração, a última devastação
Os prodígios da ruína

Erodente
Um passado que mantém a aurora do homem
Erodente
Uma marcha que se desintegra pedras de areia
As trilhas de existência, entrelaçados com a história

Ondas que elogiam a linha costeira
Chuva que colhe o solo fértil
Vento que perfura o coração do homem
O fogo que queima todas as criaturas ao redor

tradução automática via Revisar tradução
Original Adicionar à playlist Tamanho Cifra Imprimir Enviar


Posts relacionados

Ver mais no Blog