Hoje até cobra leva bote
Muitos provaram o veneno que atrai
Que por um golpe te trai
Hoje as histórias que contam não sobrevive o cordeiro fazer o que?
É aprender a ser lobo pra pegar chapéu vermelho
Viver melhor do que isso ninguém sai dessa vivo
Vi jacaré nada de bote!
Avisa lá pros formiga ficar, tamanduá ta sabendo vai colar
Mais uma puta parada de bar
Viver mais falar menos procura o certo que o errado já tem
Sei quem atira e também morre primeiro
E treme lesma no sal, sei desse filme o final
Já queimou onde passou fumaçou (fumaçou)

Palpita lesma no sal
Coloca fél na colmeia
Avisa o formigueiro que tamanduá não bera
Em covil de bandido piolho de cobra não cola
Em rio que tem piranha jacaré nada de costa

Palpita lesma no sal
Ta se exaltando sem ser czar
Sal no cururu ó... Põe pra sapecar
Falcão avistou um rato cinza descendo pra cá
Avisa o formigueiro que lá vem tamanduá

Palpita lesma no sal
Coloca fél na colmeia
Em covil de bandido não tem vez pra comédia
Que de quebradinha coloca vidas em risco
Se o seu ta na reta ele delata os bandido

Morro cadeado não dormir, lei das ruas
Na maquina dos botas não delato meus trutas
Das duas ponte pra cá
Os rato cinza vem no gás
Nas nave pega ladrão com destino a Alcatraz

Raio nunca cai duas vezes no mesmo lugar
Bola bateu, caiu, o pipoca tamanduá
Na contenção no radim
Falcão não dorme no ponto
Troféu pra PM cú
É distintivo voando
Delegacias metralhadas
Agentes fuzilados
Prêmio nobel da guerra
Pra porcos soldados
Homenagem póstuma, meus pêsames
Não não não
É paladar cheio de formiga em pleno pôr do Sol
Exaltar sem ser czar, armar casinha tocaia
É desembolo, pau no gato, só depende do palavra
Coloca fél na colmeia
Palpita lesma no sal
Mocó de marginal não tem pra anticriminal

Pronto pra ser lei lombra de vida bandida
Avisa os tamanduá que hoje a festa é das formiga

Mato um leão por dia
Pra eu não ser derrotado
Mato o tempo cantando
Pra não morrer matado

Palpita lesma no sal
Coloca fél na colmeia
Avisa o o formigueiro que tamanduá não bera
Em covil de bandido piolho de cobra não cola
Em rio que tem piranha jacaré nada de costa

Palpita lesma no sal
Ta se exaltando sem ser czar
Sal no cururu ó... Põe pra sapecar
Falcão avistou o rato cinza descendo pra cá
Avisa o formigueiro que lá vem tamanduá

Avisa o formigueiro que lá vem tamanduá
Palpita lesma no sal
Poe cururu pra sapecar
Em rio que tem piranha crocodilo nada é de costa
Em toca de ladrão maribondo desce pra cova

Em covil de bandido curva de rio não bera
Peixe morre no fio do anzol pipoca esfarela
O rato rói o queijo errado na corte do diabo
Se o falcão pegar (Humm.)
Pau no gato

Meu castelo é de drão e não desfaz com água
Sal, pimenta nos seus zoi
Piolho de cabeça raspada
Muriçoca pia fino em teia de aranha
Tapou o Sol com a peneira
Hã... Viro janta!

Comedor de carniça abutre de restos mortais
Canibal boca murcha curupira do pé pra trás
Rato cinza de biqueira, cadeado de cadeia
Pra se livrar tranca ele da minha cabeça

Então marcha soldado cabeça de papel
Avisa o formigueiro pra botar lenha no fél
Falcão na contenção
Olheiro radim na mão
Detector liga o formigueiro pra mocar os quilão

Na cova de leões não tem pra amigo da onça
Armadilha de terrorista não tem pra esquadrão anti-bombas
Pombo correio chame como se quiser chamar
Mas avisa o formigueiro que lá vem tamanduá

Palpita lesma no sal
Coloca fél na colmeia
Avisa o o formigueiro que tamanduá não bera
Em covil de bandido piolho de cobra não cola
Em rio que tem piranha jacaré nada de costa

Palpita lesma no sal
Ta se exaltando sem ser czar
Sal no cururu põe pra sapecar
Falcão avistou rato cinza descendo pra cá
Avisa o formigueiro que lá vem tamanduá

Adicionar à playlist Tamanho Cifra Imprimir Corrigir