Canções de Beurin

Cálix

exibições 2.585

Me lembrei de antigas e estranhas canções
De um mundo perdido nas brumas do sol
Tabernas no fundo das ruas em paz
Busquei no silêncio das pedras do cais

Vozes que o vento do norte me traz
Murmúrios calmos das ondas do mar
Muros tão velhos imersos no sal
Quais os caminhos, onde chegar?

Fogueiras acesas assim como sois
O vinho é vermelho, as chamas são mais
Com dedos que dançam, assim como nós
Assim era um povo, assim os jograis

Quem foi que disse que eu quero cantar
Versos vazios que somem no ar
Quem foi que disse que eu quero calar
Deuses de pedra irão se quebrar

Vou cantar as profanas canções de Beurin
Nos vales profundos de mundos sem fim
Rompendo as amarras do não e do sim
Antigos meus mestres, antigos em mim

Vou cantar as profanas canções de Beurin
Nos vales profundos de mundos sem fim
Rompendo as amarras do não e do sim
Antigos meus mestres, antigos em mim

Add a playlist Tamanho Cifra Imprimir Corrigir