Essa cidade parece fumaça
Parece que passa por cima de nós
Essa cidade, paixão e ameaça
Sirene e pirraça, vidraça e faróis

Eis que, de bike na esquina
Um cara com sua menina
Pedala sua própria sina e estende a mão
Acena pra o mundo inteiro
E mesmo que sem gasolina
Chega primeiro e termina inventando um refrão

Sigamos, sigamos
Sigamos, sigamos, meu bem!
Vivamos, vivamos
Que vamo, que vamo, meu bem!

Essa cidade parece que brocha
Se a gente debocha do seu carnaval
Essa cidade parece que arrocha a felicidade
E fica de mal

Quando ela fica zangada não quer saber mais de nada
Te pega, te baixa a porrada e vai até o chão
Mas êta cidade invocada!
Porreta, se dá disfarçada
Se dá de lavada de nó de si dar de nação

Sigamos, sigamos, sigamos
Sigamos, meu bem!
Vivamos, vivamos
Que vamo, que vamo
Meu bem!

Essa cidade
Ao largo da festa
Parece indigesta
Cidade verão

Essa cidade
Poesia concreta
De veracidade completa a
Ilusão

Um cara de bike na esquina
Pedala com sua menina
Acena a sua própria sina e
Estende a mão

Seu último baile é o primeiro
Sem grana e sem gasolina
A gente vai nessa e termina
Cantando o refrão

Sigamos, sigamos, sigamos
Sigamos, meu bem!
Vivamos, vivamos
Que vamo que vamo
Meu bem!

Adicionar à playlist Tamanho Cifra Imprimir Corrigir

Posts relacionados

Ver mais no Blog