Ser súdito das sensações
Não faz de mim vassalo seu
Não obstante eu não consigo dizer não
Ao mínimo capricho
Eu perco o equilíbrio
Palavra eu não consigo dizer não

Dizer não
Palavra eu não consigo dizer não

Os meus amigos falam muito
Que nós temos pouca voz
Que as pausas e os silêncios são pra nós
Negroide anão e nordestino
Quero emitir opinião
Pro macho adulto branco dizer não

Dizer não
Palavra eles só sabem dizer não

As luzes dos apartamentos
Asa norte asa sul
Vejo sumir pela janela do buzu
Meus olhos suburbanos
Forjados pra dormir
O sono dos injustiçados quero abrir

E dizer não
Palavra eu preciso dizer não

Eu passo pelos condomínios
E chego a são sebastião
Você na porta do barraco conceição
A minha pinga é o champanhe
Minha marmita é o faisão
E o meu suor é o descanso do patrão

Dizer não
A vida inteira e eu não consigo dizer não

Adicionar à playlist Tamanho Cifra Imprimir Corrigir

Posts relacionados

Ver mais posts