Solitário Do Sertão

Dallas Company


Hoje eu vou pegar a estrada
no alfasto ou poeirada
tenho tanto a esquecer

Deixo o vento me soprar
a direção que eu vou tomar
pra tentar intender

Como fui perder você
logo a mulher da minha vida
das riquezas infinitas
a razão do meu cantar

Mas vou pegar você no laço
e é melhor me perdoar
de você eu não desisto
nem que o mundo se acabar

Eu sou do mato eu sou peão
solitário do sertão
mas o peito faz doer
dói a saudade do olhar
e seu jeito de amar
o castigo de viver

Como fui perder você
logo a mulher da minha vida
das riquezas infinitas
a razão do meu cantar

Mas vou pegar você no laço
e é melhor me perdoar
de você eu não desisto
nem que o mundo se acabar

Como fui perder você
logo a mulher da minha vida
das riquezas infinitas
a razão do meu cantar

Mas vou pegar você no laço
e é melhor me perdoar
de você eu não desisto
nem que o mundo se acabar

Eu sou do mato eu sou peão
solitário do sertão
mas o peito faz doer
dói a saudade do olhar
e seu jeito de amar
castigo de viver

Como fui perder você
logo a mulher da minha vida
das riquezas infinitas
a razão do meu cantar

Mas vou pegar você no laço
e é melhor me perdoar
de você eu não desisto
nem que o mundo se acabar

Como fui perder você
logo a mulher da minha vida
das riquezas infinitas
a razão do meu cantar

Mas vou pegar você no laço
e é melhor me perdoar
de você eu não desisto
nem que o mundo se acabar
se acabar

Adicionar à playlist Tamanho Cifra Imprimir Corrigir

Posts relacionados

Ver mais no Blog