No janelão do apê mais alto da city
Vendo as luzes do asfalto que eu não vi
Engolindo sapos que eu não quis engolir
Porém vivendo algumas fitas que eu jamais vivi
Eu nunca quis essas modelos da pista
Pedindo corre de pó pro meu motorista
Se oferecendo pra tá junto na lista
Que depois da balada vai pro meu apê ver minha vista

Na cristaleira um destilado da gringa
Que se combinado com a minha mente logo não vinga
Eu e meus motivos de ser um Al-Qaeda na fita
A sala tá cheia de mulher e eu com a pistola na cinta

Pensei que grana era luxo
Saca, só ficar de boa numa nave dando uns puxo
Na conta brotava um torro dos brutos
Tanta coisa pra viver e a mente travando bruxo
E a segurança não me trava
Meu produtor maluco que se eu precisar ele logo te apaga
Pros oficias o papo reto então dichava
Se não te devo esquece, se me deve então me paga

É a quinta vez na semana que nós frita
Vai dar ruim essa merda, se não deu merda deslisa
Porra, mas calma jão, ainda é quinta
Fim de semana nem chegou e eu pegão nessa brisa
Meu nome é igual batom na boca das minas
Tu quer um carro bolado vem com o chassi que nós pina
Porra, nego só liga pra pedir cel de mina
E um sujeira lá de Sanja oferecendo propina

Me ferrei tanto pra ganhar o que eu tenho
Só precisei dumas bala e um pouco de raciocínio
Apto ao domínio, e essas duas de preto
São viúvas de outro chefe de um outro condomínio
É o fino trato, cerol fino no contrato
Fechando com o canal certo é melhor que sangue no trato
É bem melhor que pacto, saiu na rua impacto
E os outdoor da city pra tu é porta retrato

Do lado de dentro da glot destilado
Quem fecha com nós ta aqui, quem não fecha tá do outro lado

Truta você é um merda e eu sou um lixo
Então porra chefe, vê se não me esquece
O ser humano é um merda e o dinheiro é lixo
Então porra bixo, os dois se merecem
Um amigo de fora que liga: Eaí Dalsa, da hora
Meu vôo sai amanhã to indo embora
Tem uns bagulho que tu curte vamo embora!
Pegar um quilo da purinha meio a meio e paga em dolar

Me sinto um cara no corredor da morte
Na vida tudo se compra só não compra respeito
Conta nas ilhas Cayman ta entupida
Mas minha vida é tão vigiada que eu não posso dar um peido

A grana sempre nos corromperá
O que nos resta é viver de uma vez só
Uma vez só eu queria chapar
Me deixa chapar essa noite só baby

Acordei com cheiro de champagne na minha cama
E uma capa da Vogue dizendo que me ama
Mas ontem ela nem lembrava da fama
Me ofereceu até... Deixa pra lá segue a trama

Vagabunda pra atacar do malucão usou meu nome
Não usou meu fone ligou pro cornão gemendo
Eu atacado nem tinha comido a vaca
E o babaca me ligou e eu falei que comi mesmo
Essas olheiras no meu rosto não é cansaço é o peso
De saber que uma hora eu me vendi
Que a essência ficou uns dois discos pra trás
E eu tentando recordar no caminho onde eu me perdi

2012 quando ninguém viu os demônios
Eu lancei meus demônios pra falar do que senti, saca
Me omiti a falar que não sinto falta do Kaiky
Me olhando com os olhos de jabuticaba
Se pá logo essa vida acaba, tem dúvidas?
Então olha a quantidade de biscate nessa sala
Só posso interagir com quem tá junto nessa vala
Não não não a dúvida é quem tá junto nessa sala

Conheço puta, polícia, bandido e os caras do bixo
E os cara da fuga, e os cara do pixo
Um merda bem sucedido com um outro merda fodido
18k no pescoço e até a garganta de lixo
Um mente fodida, peito petrificado
A uns bucha de ronda num pico pacificado
Olha pra mim e responde chegado Dalsin do Quando Ninguém Viu
Onde esse merda deve ter ficado?!

Adicionar à playlist Tamanho Cifra Imprimir Corrigir

Posts relacionados

Ver mais posts