Saudades Mil

Dexter

exibições 121.905

Diadema, 2/12/99, saudades amigo Dexter
Tudo bem? Espero que sim
E que esta eu encontre na mais pura paz especial
E que você esteja firme e forte
Olha, por aqui nada anda bem
A cada dia que passa as coisas ficam mais difíceis
Com a Layzela tudo bem
Pois ela ainda é uma criança
Num compreende as surpresas da vida, sabe

Vou responder essa carta agora ó

Mês de janeiro, ano 2000, xadrez 509-E, Saudades Mil
Alô, alô, amiga, como vai você?
Senti saudade resolvi te escrever
Espero que essa carta te encontre numa legal
Com saúde, harmonia e tal
Eu to por aqui, na fé, na paz
Na correria, adiantos e mais
Fazem dois anos que a gente nao se ve
Vire e mexe, penso em você
Me lembro das festa que a gente fazia
Saia as 10 da noite e só voltava no outro dia
Que barato, só alegria, lembra, qualquer lugar a gente ia
Sempre fui considerado, você também
Lembra da Simone? Da nenem?
Aquelas minas são problema
Zuera de montão, zuera a noite inteira
Natal de 97 passei na sua casa
Muita treta, vários amigos na parada
Sua irmã estava linda aquele dia
Adriana que gata Ave Maria
Foi dahora, natal cabuloso
Daria o que tenho pra viver tudo de novo
Mas ai eu me esqueci perdi tudo
Dei tiro no escuro amigo e perdi tudo
Até aquela mina que dizia me ama
Me esqueceu depois que vim pra cá
É foda, a vida é assim mesmo
Nem tudo é do jeito, do modo que queremos
Infelizmente retroceder não da mais
Bola pra frente é assim que se faz
Jorge canto que o Charles ia voltar
E como Charles eu também, pode acreditar
Com esse dia não paro de sonhar
Eu quero ver, o mundo inteiro feliz em paz

Velha camarada, obrigada pela carta
Que saudade preta rara, quero viver
De cabeça erguida, logo vou sair pra vida
Qualquer dia, eu vou te ver

Velha camarada, obrigada pela carta
Que saudade preta rara, quero viver
De cabeça erguida, logo vou sair pra vida
Qualquer dia, eu vou te ver

Quando recebi a carta que você mando
Fique desnorteado ai, abalo
Não acredito que mataram seu marido
O Amarildo era meu amigo
Sempre chegou comigo em varias fitas
É difícil entender as surpresas da vida
Ontem tudo bem com a família inteira
Hoje um a menos parece brincadeira
Meu aliado respeitado no crime
A inveja é uma merda conheço esse filme
Peço a Deus que vocês estejam bem
E que meu truta esteja em paz, aleluia, amém
Ai amiga, hoje eu não tô legal
Afetaram meu lado espiritual
Vi um maluquinho me olhando diferente
Com a maldade nos olhos, entende?
A cabrerajem tomo conta de mim
Eu to esperto, ligeiro enfim
Quero saber o por que daquele olhar
Eu tô na dele ae, vo enquadra
O que ele quiser comigo eu quero em dobro
To no veneno, to disposto
Aqui nessa porra é assim
O demônio te atenta, planeja seu fim
Que Deus me proteja, espero que não seja nada
Mas se for, topo qualquer parada
Ai amiga este lugar... é o inferno
- Ae Dexter, caiu mais um no patio Interno
Viver na paz é o que quero
Mas não aquela paz fria de um cemitério
Lampadas para os meus pés é a palavra de Deus
Senhor, proteja esse filho seu
Jorge canto que o Charles ia volta
E como Charles eu também pode acredita
Com esse dia não paro de sonhar
Serei um vencedor, pode apostar
E de cigarro, em cigarro lembrança nos olhos embaça
A liberdade, dignidade são conquistadas na marra
E a saudade bate na velocidade do tempo que passa
Eae, pode crer, um dia vou estar com você

Velha camarada, obrigada pela carta
Que saudade preta rara, quero viver
De cabeça erguida, logo vou sair pra vida
Qualquer dia, eu vou te ver

Amiga, to com saudade da quebrada
Na proxima carta me fale da rapaziada
Como vai o Romildo e o Marquinhos?
Robson? O Edberto e o Zinho? Ae
Pede pra eles me escreverem
Diga que liguei, pra não esquecerem
Que o cuidado é necessário
Hoje em dia o mundão, ta cheio de otários
Não pensam duas vezes pra puxar o cano
Ai já era sobe mais um irmão
Sai, é arriscado demais
A pedra ta em alta derrubou a paz
Noias nas esquinas, provocam medo
No nosso tempo nao era desse jeito
Ai amiga filme triste de ve
Violência, marca registrada, o que faze?
No escadão se escutam vários tiros
E logo em seguida a mãe que chora por seu filho
Roberto que Deus o tenha mano
Quem me contou a fita, foi o Luciano
Ele também ta por aqui
E disse que na vila agora ta assim
Quem sabe quando eu sai
Tudo já esteja bem melhor por ai
Quem sabe os irmãos um dia compreendam
Que o crime e as drogas não passam de doenças
É só cadeia, velório destruição
Tristezas em família só decepção
É necessário corrigir a postura
Amor, justiça é a cura
Bem, acho que já falei demais
Na próxima te escrevo mais
Amiga minha, lembranças a todo
Fiquem na fé, to orando por todos
Vê se não demora pra me responder
To com saudades de você

Velha camarada, obrigada pela carta
Que saudade preta rara, quero viver
De cabeça erguida, logo vou sair pra vida
Qualquer dia, eu vou te ver

Velha camarada, obrigada pela carta
Que saudade preta rara, quero viver
De cabeça erguida, logo vou sair pra vida
Qualquer dia, eu vou te ver

Add a playlist Tamanho Cifra Imprimir Corrigir