Carrego em mim os rabiscos da vida
As marcas que sempre dirão por mim
A arte de se comunicar sem sequer dizer uma palavra
Os significados que você nunca vai entender

O que me faz sentir o sentido
O que me faz fazer o feito
A calma que procuro na paz

As marcas que se encontram aqui têm nomes e histórias
Ditas por não dizerem nenhum verbo
E mesmo quando essas chagas desfalecerem
Continuarão a ter o mesmo sentido

Fuma, joga e é dado ao vício da embriaguez
Sua instrução é rudimentar
Exprime-se com dificuldade e intercala em sua conversa
Palavras da gíria do seu ambiente
Não gosta do convívio da sociedade por ver que esta o repele
Dados os seus vícios

No meu peito dilacera a vontade de vencer

Rio de Janeiro, Distrito Federal
Doze dias do mês de maio do ano de 1932

Adicionar à playlist Tamanho Cifra Imprimir Corrigir

Posts relacionados

Ver mais posts