exibições 8.238
Foto do artista Draconian

The Gothic Embrace

Draconian


The Gothic Embrace

Oh, angel of my winter
Grieveth for the pain of sadness
A gothic embrace restores my love
God took away
Ye romance of forgotten times
In eras without the sun
An ocean of tears I see
A nightfall of dreams caresses me

Thou wert, thou art, thou shalt forever be
Ye nightshade of thy sorrow
Stretching out in twilights beauty
In love with ye thousands of nights
But weeping in silence, in ebony
For melancholy, forever, forever!

Jesus Christ walks the Earth, a pitiful shade of God
A cruel conspiracy for the sake of slavery
And He drags us down to the plague of humanity
Set us free!

I've killed my holiness
Killed my emptiness!
I'm fallen from God
Fallen from guilt!

I've abandoned the light
The light that blinded so long!
Free from submission
But still under His spell
We're in pain, pain, pain!
Sorrow turns to anguish
And I scream with hate at the tyrant above!

Hosanna de Profundis
Arcana Imperii
Salva me, Libera me!

Gothic moon, ablazeth the eventide so sonorous
Ye solemn of a lovelorn garden of crimson souls
All true beauty is sad, but lost within the clenched hands of God
Lost within the clenched hands of God

We're all like dying embers; we're fallen leaves
As long as Thy power is seated on Heaven's throne
The false righteousness in Thy glory's name
Forever shall I grieve!

I mourn that the night passes us by
Let there be an eternal night, eternal night!

O Abraço Gótico

Oh, anjo do meu inverno
Atormentado pela dor da tristeza
Um abraço gótico restaura meu amor
Que Deus tomou
O romance de tempos esquecidos
Em eras sem o Sol
Um oceano de lágrimas eu vejo
Um anoitecer de sonhos me acaricia

Tu foste, tu és, tu sempre serás
A sombra da noite da tua mágoa
Estendendo-se na beleza do crepúsculo
Apaixonado por ti milhares de noites
Mas chorando em silêncio, em ébano
Por melancolia, para sempre e sempre!

Jesus Cristo caminha sobre a Terra, uma patética sombra de Deus
Uma cruel conspiração em prol da escravidão
E Ele nos arrasta para baixo até o flagelo da humanidade
Nos liberte!

Eu matei minha santidade
Matei meu vazio!
Eu sou caído de Deus
Caído da culpa!

Eu abandonei a luz
A luz que cegou por tanto tempo!
Livre da submissão
Mas ainda sob o Seu feitiço
Nós estamos com dor, dor, dor!
A tristeza se transforma em angústia
E eu grito com ódio ao tirano acima!

Hosana das profundezas
Império oculto
Salve-me, livrai-me!

Lua gótica, incandesceu o anoitecer tão harmonioso
A solenidade de um jardim sem amor de almas carmesim
Toda a beleza verdadeira é triste, mas perdida nos punhos cerrados de Deus
Perdida nos punhos cerrados de Deus

Nós somos todos como brasas moribundas; nós somos folhas caídas
Enquanto Teu poder assentar no trono do Paraíso
A falsa justiça em nome da Tua glória
Eternamente eu devo lastimar!

Eu lamento que a noite passe por nós
Que haja uma noite eterna, uma noite eterna!

Original Adicionar à playlist Tamanho Cifra Imprimir Corrigir
Composição: Andreas Hinden / Andreas Karlsson / Johan Ericson / Anders Jacobsson / Draconian · Esse não é o compositor? Nos avise.
Enviada por Monalisa, Traduzida por Geowany
Viu algum erro na tradução? Envie sua correção.