exibições 3.731
Foto do artista Draconian

Stellar Tombs

Draconian


Stellar Tombs

A place where daylight aches
It's all unreal to you
A sunset calls me here
I swear to love it's true

So alien this vaulted screen
And patterns form into contours
The dark around me as dense as matter
A stellar quake fills the astral space

How dare you not to see?
My tears are gifts to you
A heart you must set free
How dare you not believe?

(Because I freeze in the warmth, in the glow of helios
Sweat in the heart of summer drained
And radiant life to falter and beautiful tears to dry
I'm gracefully bowing... in horror)

Waterless like the ocean
Drizzling like the deserts
Come emerge and wallow!
Pretend like nothing at all
Along the whirlwinds in your head

A place where daylight aches
It's all unreal to you
A world we must set free
I swear to love it's true

Petrified spirit, dilated stare
I'm piercing through these icy shackles
Somehow cast around this nebula
Unwilling to enter my birth

(Would you take my hand and follow through the ether?
Would you sweat and dance in winters' bloom?
For radiant life to falter and beautiful tears to dry
I'm gracefully bowing... in sorrow)

Waterless like the ocean
Drizzling like the deserts
Come emerge and wallow!
Pretend like nothing at all
Along the whirlwinds in your head

Along the whirlwinds in your head

(Frailty and strength marry and dissolve
And the sky fills up with poetry and song
Into the soothing black we go)

Túmulos Estelares

Um lugar onde a aurora sofre
Tudo é irreal para ti
Um pôr do sol aqui me chama
Eu juro por amor que é verdade

Tão estranha é esta tela arqueada
E padrões se transformam em contornos
A escuridão em torno de mim é tão densa quanto à matéria
Um terremoto estelar preenche o espaço astral

Como ousa não ver?
Minhas lágrimas são presentes para você
Um coração você deve libertar
Como ousa não acreditar?

(Porque eu congelo no calor, no fulgor de Helios
Suor no coração do drenado verão
E da vida radiante a vacilar e belas lágrimas para secar
Estou graciosamente curvando-me em horror)

Árido como o oceano
Chuviscando como os desertos
Venha emergir e chafurdar-se!
Aja como se nada acontecesse
Junto com os redemoinhos em sua cabeça

Um lugar onde sofre a aurora
É tudo irreal para você
Um pôr-do-sol aqui me chama
Eu juro por amor que é verdade

Espírito petrificado, olhar fixo dilatado
Estou perfurando através desses grilhões geladas
De alguma forma lanço em torno desta nebulosa
Recusando-me a entrar em meu nascimento

(Será que você pegará minha mão e seguiremos através do éter?
Você sua e dança em flores do inverno?
Para a vida radiante nos vacilamos e para belas lágrimas secaremos
Estou graciosamente curvando-me em horror)

Árido como o oceano
Chuviscando como os desertos
Venha emergir e chafurdar-se!
Aja como se nada acontecesse
Junto com os redemoinhos em sua cabeça

Junto com os redemoinhos em sua cabeça

(Fragilidade e força casam-se e dissolvem-se
E o céu se preenche com poesia e música
Na tranquilizante escuridão nós vamos)

Original Adicionar à playlist Tamanho Cifra Imprimir Corrigir