Foda-se a indústria, foda-se o mundo
Foda-se a puta, na moral, foda-se tudo
Foda-se essa porra de noticiário sensacionalista
Foda-se a igreja e o caralho a 4 que tá na revista

Ser-humano a cada dia se torna bem mais alienado
Caindo na escuridão dos próprio ditos "iluminados"
Tá ligado? Hé, foda-se o capeta, foda-se essa bosta
Foda-se a treta, foda-se lorota, pra merda eu fecho a porta

Dudão k2 não se prende nesse mundo material
Grande urso na selva de concreto canibal
O mundo tá uma merda de baderna cibernética moderna
Nova ordem concerta, tá certa, concreta e interna

Ocultismo do satanismo nunca foi nem será visto
Quem garante que o novo e antigo papa foi bem quisto?
Cala sua boca suja, filho da puta de prostituta
Alienado não sou eu, é quem se prende a indústria

Na minha caneta tem sangue, mas não assino contrato
Pixo '666', penta-grama, falo sobre diabo, mas não mato
Não entendo, cê tá vendo que eu já tô até sem calma
A puta chega a ser tão puta que vende até alma

Troca a paz do espírito por coisas materialistas
Por grana, fama, xana e por capa de revista
Por isso que a mídia que levanta afunda o mesmo
Fode a porra toda e que se foda sua imagem de perfeito

Meu sangue não é frio, pelo contrário, é explosivo
Quando a raiva sobe é surra no microfone com motivo
Assim eu vivo, em perfeita insanidade nessa cidade
Com diversas variedades de propriedades em inverdades

Eu vi vários trouxas arrombados cuspirem na minha face
Mas lambem minhas coxas quando melhoro a fase
Eu sei quem é verdadeiro, quem é que tá comigo
Não é pelas letras nem pelo lifestyle que é meu amigo

Foda-se o que tu acha do rap ou do meu estilo underground
Eu xingo mesmo, chapo mesmo, transo mesmo no playground
Meus olhos jorram lágrimas com hemácias
Mando foda-se indústrias e religiões, foda-se as massas

Enquanto eu choro o sangue que se fixam nos olhos
Tu joga menstruação no seu e simula um falso ódio
Foda-se satanás e seus falsos seguidores
Foda-se as igrejas e falsos pastores

Foda-se democracia representativa inativa
Foda-se quem não tem a paz da cannabis sativa
Ninguém é tão burro que quer atrair o negativismo
Só esses retardados com falsa blasfêmia e cinismo

Foda-se qualquer tipo de marionete
Eu sou Dudão k2, e esse é meu rap
Eu sou eu, verdadeiro, nunca escondo a cara
Vomito com tuberculose a fumaça que tu inala

Eu não sou o que escolhe uma mina só pelo fato dela ser bonita
Pra mostrar pros outros retardados mentais, eu sigo a alma a toda hora
A todo momento, foda-se a indústria, foda-se as regras, caralho
Eu sou eu e que se foda o resto, é isso aí, foda-se o mundo
Foda-se a indústria

Adicionar à playlist Tamanho Cifra Imprimir Corrigir