exibições 92

Pisei numa mina onde a morte predomina
Me enfiei num buraco sem ter pra onde ir
Estou desamparado e minha cabeça vai explodir
Em meio à opressão e a destruição
A guerra toma inicio e volto com sangue na mão
Sangue de adultos, idosos ou crianças.
Não importa a idade não temos esperanças

O transitou parou
E o meu medo aumentou
De vidro fechado
Para não ser assaltado
Ou ate mesmo perder a vida
Por um ato homicida
De repente uma explosão
Na via expressa o caveirão

Eu entrei numa cilada e a bomba estava armada
Me enfiei num buraco dentro te um cortiço
Estou com o cu na mão e o carrasco com serviço
Em meio a ganância e a ignorância
A pena desse crime não aceita fiança
Guerra civil, ideológica ou nuclear
A morte predomina não importa aonde vá

O transitou parou
E o meu medo aumentou
De vidro fechado
Para não ser assaltado
Ou ate mesmo perder a vida
Por um ato homicida
De repente uma explosão
Na via expressa o caveirão

Suas mãos sujas de sangue igual ao vermelho do seu dinheiro
Sua mente verde que nunca madurece, mas suja que um chiqueiro
A guerra gera recursos, gera insultos e desespero
Ficar meses sem ver o seu pai e depois ter que ir ao seu próprio enterro

Adicionar à playlist Tamanho Cifra Imprimir Corrigir

Posts relacionados

Ver mais no Blog