Não sei o que sinto e faço
Se abraço o meu violão
Madeira em lugar do braço
O acorde em lugar da mão
Qualquer canção que vier
Já não me assusta não
Eu tenho até a impressão
Que o braço do violão
Na minha mão é meu braço
Punhal revolver facão
Qualquer canção que vier
Já não me assusta não
E eu fico armado até os dentes
Saudade alegria ou paixão
Não há nessa vida quem possa enfrentar
Meu braço de violão

Adicionar à playlist Tamanho Cifra Imprimir Corrigir
Composição: Paulinho Tapajós / Raul Elwanger. Essa informação está errada? Nos avise.

Posts relacionados

Ver mais posts