Dias Difíceis (part. Oriente)

Haikaiss

exibições 13.497

[Nissin]
Quem é que disse que você não pode voar?
Quem é que disse que você não pode voar?
Quem é que disse que você não pode voar?
A mente levita e tira meus pés do chão, não, não, não
Eles não vão conseguir
Daqui de cima eu vejo tudo

[Spvic]
Quem é que disse? Como a fé, que diz ser
Colocada só nos dias difíceis
Em toda espécie há vida, minha febre é fibra
Complicada só nos dias difíceis

Quem é que disse? Como a fé, que diz ser
Colocada só nos dias difíceis!
Em toda espécie há vida, minha febre é fibra
Complicada só nos dias difíceis

Pode pá! Sou a cólica!
Sua cosmopolita insólita
Descobre, tá sendo um processo
Pra recompensar o verso
O microfone tá imerso em ódio
E cabe a cada um de nós saber dividir lições!
Somos no capítulo, no mínimo, nas dimensões
Do parque de diversões, em todas as direções
Dobro do estímulo? Não! O triplo!
Sem rótulo, outro discípulo no musical do signo
Repito casas, pratos, voos
Traga o Soul ou o Sol!
Eu sou do Brasa, pausa, jow!

Lembro dela vindo sucinta
Domingo, e foi embora na quinta
Nessa dança, sendo melhor amiga
Foi impetuosa e convida
Perspectiva

Quem é que disse
Como a fé, que diz ser
(Colocada só nos dias difíceis!)
Em toda espécie há vida, minha febre é fibra
(Complicada só nos dias difíceis)

Quem é que disse
Como a fé, que diz ser
(Colocada só nos dias difíceis!)
Em toda espécie há vida, minha febre é fibra
(Complicada só nos dias difíceis)

[Spinardi]
Sem pretensão
Ó, bebendo do veneno da cidade
Sem pretensão
Pode pá, minha oração, nossa luz, consegui
Sem pretensão
Eles não vão conseguir
Daqui de cima eu vejo tudo

[Nissin]
Eu queria voar, eles me deram teto
Fui ver o pôr do sol de cima da laje
Os menor colocando a pipa no alto
Pra enfrentar a altura, tem que ter coragem
Vou pro campo de batalha e por mais que perca
Minha derrota não será porque fui um covarde
Nossa honra vale mais do que o seu dinheiro sujo
Que se foda sua descrença, não vou perder a viagem

Vix, liga, veja, siga, tira o rei da sua barriga (skrr, skrr)
Sei que posso, o mundo é nosso, há quem diga
Que o tempo passa rápido demais
Pra quem fica preso com os pés no chão
Foco de uma águia, rápida e sábia
Voando em silêncio
Pairando a imensidão

O limite é a palavra que ainda não conheci
O impossível é possível, por isso não desisti
Se o caminho fosse fácil, qualquer um tava aqui
Mesmo andando sem rumo, eu sei bem pra onde ir

Quem é que disse
Como a fé, que diz ser
(Colocada só nos dias difíceis!)
Em toda espécie há vida, minha febre é fibra
(Complicada só nos dias difíceis)

Quem é que disse
Como a fé, que diz ser
(Colocada só nos dias difíceis!)
Em toda espécie há vida, minha febre é fibra
(Complicada só nos dias difíceis)

[Spinardi]
Sem pretensão
Ó, bebendo do veneno da cidade
Sem pretensão
Pode pá, minha oração, nossa luz, consegui
Sem pretensão
Ó, bebendo do veneno da cidade
Sem pretensão

[Spinardi]
Tempos cômicos
Ninguém me perguntou o que eu queria
Como foi? O porquê dessa empatia
Na soma dos meses
Como se eu pudesse concorrer
Com o senhor do tempo e das teses
Da boca do lixo, vimos clássicos
São folhas amassadas que se rabiscou
Amargamos os tempos de crise
Difíceis, viramos raízes
Somos rascunhos do universo intenso
Pega pra capar, psicológico inverso
Concretos imersos
Usei da poesia
Minha forma divina pros olhos incrédulos
Fomos além do que se imaginava aqui
E eu ainda me pergunto quem somos
Converso com Deus nos mínimos detalhes
E sinais pra ter uma noção de onde vamos

Redirecionamos
Minha música é negra, cultura negra
Eu honro o que vivo
Obrigado Ylsão Negredo
Os conselhos Nocivo Shomom
Disscarrego é meu hino, oh
Leandro Emicida
Melhor opção da Zona Norte
Um dom, sangue bom, bom exemplo
Cantar a verdade independente do momento
É melhor que qualquer frase de efeito, ó

Quem é que disse?
Minha fé que disse
Colocada só nos dias difíceis
Toda espécie é vida, minha febre é fibra
Complicada só nos dias difíceis
Quem é que disse?
Minha fé que disse
Colocada só nos dias difíceis
Toda espécie é vida, minha febre é fibra
Complicada só nos dias difíceis

[Spinardi]
Sem pretensão
Ó, bebendo do veneno da cidade
Sem pretensão
Pode pá, minha oração, nossa luz, consegui
Sem pretensão
Ó, bebendo do veneno da cidade
Sem pretensão
Bebendo do veneno
Bebendo do veneno da cidade

Add a playlist Tamanho Cifra Imprimir Corrigir