Foto do artista Herbert Lucena

Não Me Peçam Jamais Que Eu Dê de Graça Tudo Aquilo Que Eu Tenho Pra Vender - Parte 01

Herbert Lucena


Vou agora falar para vocês
De uma coisa que até me contraria
Quando chegam com certa cortesia
E me dizem por mais de uma vez
Que preciso ganhar o meu freguês
Trabalhando sem nada receber
E com isso tentam me convencer
Mas ladainha não me embaraça
Não me peçam jamais que eu dê de graça
Tudo aquilo que eu tenho pra vender
Não me peçam jamais que eu dê de graça
Tudo aquilo que eu tenho pra viver

Canto sempre o coco sincopado
Esse ritmo é minha profissão
E por isso não faço doação
Sobre tudo que tenho pesquisado
Histórias do presente e do passado
Tenho muito a cantar e pra dizer
Quem quiser essa arte conhecer
Olhe, eu trago no peito e na raça
Não me peçam jamais que eu dê de graça
Tudo aquilo que eu tenho pra vender
Não me peçam jamais que eu dê de graça
Tudo aquilo que eu tenho pra viver

Todo bom lutador só quer ganhar
Esse mote inspira o meu estudo
Se tentar me enganar não fico mudo
E pra todos os cantos vou gritar
E não pensem vocês que vou calar
Pelo que eu faço quero receber
E o que faço poucos vão fazer
E nem vão levar a toda a praça
Não me peçam jamais que eu dê de graça
Tudo aquilo que eu tenho pra vender
Não me peçam jamais que eu dê de graça
Tudo aquilo que eu tenho pra viver

Eu nasci pra cantar coco e ciranda
E forró que tem boa freguesia
Mas nas rádios não toco todo dia
Pelo jeito esse cartel comanda
Escolhendo quem cresce e quem não anda
Porém minha construção não vou ceder
Nem tão pouco de bandeja oferecer
Aos que não bebem da minha cachaça
Não me peçam jamais que eu dê de graça
Tudo aquilo que eu tenho pra vender
Não me peçam jamais que eu dê de graça
Tudo aquilo que eu tenho pra viver

Adicionar à playlist Tamanho Cifra Imprimir Corrigir
Composição: Alexandre Rasec / Climério De Oliveira / Herbert Lucena / Ruzza · Esse não é o compositor? Nos avise.
Enviada por HERBERT
Viu algum erro na letra? Envie sua correção.