caindo, cai
descalço, vai
na beira da calçada

olhando, vê
assiste a quê
anda atrás de nada

catando lixo,
correndo o risco,
fazendo arruaça

chutando lata,
xingando placa,
fazendo ameaça
passa, passa

cambaleando na praça,
cabeceando vidraça,
descarregando essa desgraça

passando carro que passa,
cuspindo sarro e cachaça,
desarrasou-a na fumaça

sacode o trapo da roupa,
sacode saco de estopa,
se esconde atrás de uma fachada

suspenso no meio fio,
pergunta onde é o brasil,
procura e não encontra nada
nada, nada

praça da sé
cabeça em pé
de olhar pra lua

na são joão,
vai vendo o chão,
derrubar a rua

tomando chuva,
tomando sol,
tomando uma porrada

não tem lugar,
qualquer lugar,
é a sua casa

puxa a carroça a cavalo,
fuçando o resto no ralo,
desengonçando essa carcaça

quem vê não quer nem saber,
quem sabe não quer nem ver,
quem chega perto perde a graça

sai do terreno baldio,
perambulando vadio,
em meio a próxima parada

treme de medo ou de frio,
pergunta onde é o brasil,
procura e não encontra nada
nada, nada

Adicionar à playlist Tamanho Cifra Imprimir Corrigir
Composição: Arnaldo Antunes / Edgard Scandurra · Esse não é o compositor? Nos avise.
Enviada por Filipe
Viu algum erro na letra? Envie sua correção.