Quando a brisa espalha
A essência de uma flor
Bela imagem surge no meu coração !
És tu...
Vem lembrar-me a quadra
Do primeiro amor...
Vem prender mais ainda
As algemas desta escravidão

Tu és a gloria de Satã,
No reino da traição
E tens no peito rubra pedra
Em forma de coração
Tua boca, linda de maçã
É o fruto da tentação

Tu és a rocha, eu sou o mar,
A te beijar...
Mas a vida é cárcere divino
Temos o destino, branco ou purpurino
Escrito lá nos céus !...

Deus, ó, Deus,
Tendo por caridade compaixão,
Piedade da infelicidade
Que se abriga em mim
Enviai um raio de esperança
De rósea bonança
Para quem não cansa de gemer assim,
Pelo amor que tive na vida
Leva a passageira de um pálido jasmim...

Adicionar à playlist Tamanho Cifra Imprimir Corrigir

Posts relacionados

Ver mais posts