A de ó

Estamos chegando
Dos ricos fogões,
Estamos chegando
Dos pobres bordéis,
Da carne vendida nós somos,
Viemos amar.

Estamos chegando
Das velhas senzalas,
Estamos chegando
Das novas favelas,
Das margens do mundo nós somos,
Viemos dançar.

Estamos chegando
Dos trens dos subúrbios,
Estamos chegando
Nos loucos pingentes,
Com a vida entre os dentes chegamos,
Viemos cantar.

Estamos chegando dos grandes estádios,
Estamos chegando
Da escola de samba,
Sambando a revolta chegamos,
Viemos gingar.

A de ó

Estamos chegando
Do ventre das Minas,
Estamos chegando
Dos tristes mocambos,
Dos gritos calados nós somos,
Viemos cobrar.

Estamos chegando
Da cruz dos engenhos,
Estamos sangrando
A cruz do Batismo,
Marcados a ferro nós fomos,
Viemos gritar.

Estamos chegando
Do alto dos morros,
Estamos chegando
Da lei da Baixada,
Das covas sem nome chegamos
Viemos clamar.

Estamos chegando
Do chão dos Quilombos,
Estamos chegando
Do som dos tambores,
Dos Novos Palmares só somos,
Viemos lutar.

Adicionar à playlist Tamanho Cifra Imprimir Corrigir