Vendo o pulso do correr da vida
Vendo o que não via
Vende-se ânimo, valentia, coragem

Ânimo, valentia, coragem

Vendo o passar dos dias
Vendo a alma
Vento que perdi
Vendo que

É mentira o que dizem os filmes de amor
Vendo que
É mentira o que dizem os filmes pornô
Vendo que
De verdade só os filmes de terror

Vendo o que não vejo
E vendo o que comprei
De verdade os de terror
E os de amor não sei

E se for melhor não sai
De suspense tenha dó
Que horror pro terrorismo
Pois terror é bem melhor

Se a coroa é de rima
E o verso é que conduz
Cada linha é obra prima
E no apagar da luz

São os frames do terror
Cada um tem sina e cruz
Outros só tem a esquina
E o algoz com seu capuz

Na cidade a cerca elétrica
E a cadeira de choque
O estilo é a métrica
De Alfred Hitchcock

Se o impulso aperta o passo
Passo o passo na batida
Com o pulso em descompasso
Pelo pulso do correr da vida

Vendo o pulso do correr da vida
Vendo o que não via
Vende-se ânimo, valentia, coragem

Ânimo, valentia, coragem

Vendo o passar dos dias
Vendo a alma
Vento que perdi
Vendo que

É mentira o que dizem os filmes de amor
Vendo que
É mentira o que dizem os filmes pornô
Vendo que
De verdade só os filmes de terror

Vendo o pulso do correr da vida
Vendo o que não via
Vende-se ânimo, valentia, coragem

Ânimo, valentia, coragem

Adicionar à playlist Tamanho Cifra Imprimir Corrigir