A praga que te rogo agora
É que nunca encontre um amor igual
Aquele meu amor sincero
Que por ti venero e é todo meu mal

Que nunca encontre em outros braços
O calor do abraço e dos beijos meus
Aquele amor que era tão nosso
Virou cinzas e destroços
É saudade, é adeus!

Por isso que te canto agora
Esta toada triste, cheia de amargura.
O mal que me causaste um dia
Fez da minha vida um poço de agruras

Que a vida te ensine um pouco
Pelo sofrimento que vc me deu
E as marcas hoje no meu rosto
São retratos de um desgosto
De um amor que se perdeu!

Adicionar à playlist Tamanho Cifra Imprimir Corrigir