Tantas formas, vários tamanhos
Em muitos lugares estranhos
À noite, ao dia
Eu mesmo, um ser imperfeito
Meus dias, meus receios
Nesse mundo que nos mostra o medo
Medo de apostar em ser feliz
De amar, de se entregar
Um dia vou criar asas e voar
Deixar a voz na minha consciência
Que me tira a inocência, me levar
Para onde quiser que eu vá
Nesse lugar
Onde posso tentar e não me arrepender
Se alguma vez eu errar
Um mundo paralelo
Mostrando um futuro inverso
Sem medo de voar
Quero buscar nesse mundo paralelo
Ou em algum lugar não tão perverso
Mesmo sem futuro eu confesso
Porque me iludir ou aceitar
Abrir os olhos sem acordar
Palavras que se apagam ao chorar
Esse peso nos meus ombros
Esmagando os meus sonhos
Querendo viver
Nesse lugar
Onde eu posso tentar e não me arrepender
Se alguma vez eu errar
Um mundo paralelo
Mostrando o futuro inverso
Sem medo de voar
Aqui posso ser o que quiser
Não preciso me esconder de ninguém
Essa ilusão é a minha força de viver
Vou tentar, nunca me entregar
Minha vida meu carma vou carregar
Até o dia em que eu morrer
Vou entrar nos sonhos, de quem sentir
Ou compreender essa mágoa vil
Que carrega até o fim
Para onde quiser que eu vá
Nesse lugar, quero voar
Por cima de um mundo paralelo
Quando chegar, posso mudar
Sem me arrepender
Um mundo paralelo
Mostrando um futuro inverso
Sem medo de voar
Nesse lugar
Onde eu posso tentar e não me arrepender
Se alguma vez eu errar
Um mundo paralelo
Mostrando o futuro inverso
Sem medo de voar

Adicionar à playlist Tamanho Cifra Imprimir Corrigir

Posts relacionados

Ver mais posts