Quando penso na antiga Galiléia
Que um dia na história apareceu
Eu me lembro de um homem muito simples
Que há muito tempo, ali, também viveu
Nos mercados e templos das cidades
Pelas vilas de homens ricos e plebeus
Ele andava ensinando e pregando
Era conhecido como Galileu

Este homem tinha seus olhos serenos
Sua voz, tocava fundo, os corações
Suas mãos curavam os pobres enfermos!
E Expulsavam as terríveis legiões
Este homem que ressuscitava os mortos
Maravilhas Ele fez e ainda faz
Na Galiléia, era um pobre peregrino
Este ser divino é o Príncipe da Paz

Galileu eu veja o humilde Galileu, levando a cruz
Pra salvar sofridos, pecadores como eu
e dissipar, a escuridão, com sua luz
Galileu, que no Gólgata abriu os braços Seus!
Por Seu sangue derramado no madeiro
Ele é o Cordeiro, e nEle temos, paz com Deus

Hoje em dia nós temos a alegria de vivermos
Na dispensação da fé
Desse homem que viveu na galiléia
E se chama Jesus de Nazaré
Na Judéia iniciou seu ministério
Espalhando a semente do perdão
Para derramar em nós o refrigério
Da sua maravilhosa salvação

Adicionar à playlist Tamanho Cifra Imprimir Corrigir