Eu tava doido pra cantar pra ela nosso som
Que escrevi ontem pensando no amanhã
E hoje eu tô aqui, despreparado
Preocupado com tudo ao redor
Minhas pernas tremem, a boca não abre
E não dá nem pra me mover
Talvez se eu tivesse ensaiado mais
Talvez se eu estivesse um pouco mais firme
Talvez esse borbulho no estômago signifique que nós combine
E nem precise de mais canções
Além do sons de voz de quando converso contigo
Mas não consigo e tudo que eu não te digo aqui
É que ontem eu pus no verso
Que, eu tava doido pra cantar
Nosso som, nosso som

Ana capricorniana, nesse final de semana
Desculpa, mas não quero ver você partir
Amanhã acordo cedo, corre aqui, não tenha medo
O morro todo hoje quer te ver sorrir
Quem é que tem coragem pra falar de amor?
Quem é que tem coragem de ser o que não é?
Fiz essa aqui na laje, esse fundo é montagem

Me diz o que cê quer pra aliviar essa dor
Fui de peito aberto pra fechar contigo
Seu mundo tava escuro, eu fui o seu farol
Escolhas são escolhas, cê tem seus motivos
Mas quem quer viver na sombra não espera o Sol
Cê sabe que a vida é um tecido fino
Pois a qualquer momento pode se rasgar
Talvez não seja nada, seja só o destino
Era simplesmente a hora de tudo acabar

Meu quarto ainda tem seu cheiro, de vazio eu entendo
Esvaziou o coração e, sem ter explicação, me arrancou de dentro
Meu quarto ainda tem seu cheiro, de vazio eu entendo
Esvaziou o coração e, sem ter explicação, me arrancou de dentro

Ana capricorniana, você acha que me engana
Desculpa, mas não quero ver você partir
Vai embora com a minha blusa, só pra deixar outra sua
Ninguém pode saber que você teve aqui
Quem é que tem coragem pra falar de amor?
Quem é que tem coragem de ser o que não é?
Fiz essa do meu quarto, minha casa não tem laje
E a única montagem é seu sorriso sem cor, amor
Seu sorriso sem cor, amor
Seu sorriso sem cor

Já não sei quantas vezes arrumou as malas
Amamos e brigamos mil vezes ao dia
Nem lembro quantas vezes procurei palavras
Pra te mostrar aonde nós dois juntos chegaria
Não sabe como eu corro pra cuidar de tu
Mas é verdade, eu não cuido nem de mim, eu sou um louco
Mas tudo porque eu gosto de sentir o gosto
Da gente brindando muito e dividindo o pouco
Eu sagitariano e ela escorpiana
Ela bate e ama
Era pra ser mais um romance, mas nós dois faz drama
E o mais sinistro é que tu sabe que elas me quer
E eu sei que eles te quer, mas nós dois só quer
Cantando a nossa música
A gente chora, porque eu preciso ir embora

Me chama de bebê, que hoje eu vou beber a água do seu corpo
E a gente vai começar tudo de novo
Nós vamos acordar juntin', eu e você juntin'
Vem, vem, vem, que hoje nós dois vamos queimar nosso fogo
Que todo tempo do mundo ainda é pouco
Pra eu cantar o samba que eu fiz pra te ver sorrir

Ah
Se você voltasse ao momento do impasse
E pensasse melhor, não se precipitasse
A um passo do precipício, se tu não me empurrasse
Imagina se fosse um começo tão doce
Que deliciasse sua boca e trouxesse um sentimento lindo
Ai se sêsse!
Seria tão bom
Eu teria o meu bem debaixo do edredom
Dispensaria o harém
Preta, você tem noção do que você tem?
Me deixa no chão, por favor, vem com amor e carinho
Que assim vou também
E se você voltasse ao momento do impasse e pensasse melhor?
A um passo do precipício
Ai se sêsse!

Adicionar à playlist Tamanho Cifra Imprimir Corrigir
Composição: Pineapple StormTV. Essa informação está errada? Nos avise.

Posts relacionados

Ver mais posts