Minha mãe, me perdoa por eu ser bandido, chapar na bubina
Não dei valor a vida, era feliz e não sabia

Hoje privado do mundão, longe da minha família

Minha mãe
Tudo começou primeiro 157
Eu era pivete, porém inteligente
Cresci na favela, becos e vielas
Gostava do verde, fazia minha mente (papo quente)

Na criminologia, vivendo e aprendendo
Entre altos e baixos, ganhando e perdendo
Minha mãe falava: Filho, tenha calma!
Nessa vida, tu pode acabar morrendo!

Eu não ouvi minha mãe, conselho era bom!
Hoje se comunico minha alma no céu
E o meu corpo na terra; sete palmos do chão

E a saudade vem, machuca minha família
Graças a Deus, deixei herdeiros: Um filho, uma filha!

E só resta lembranças! Até parece que é mentira
Minha mãe no velório gritando
Meu filho, volta pra essa família!

Agora é tarde, mamãe! Hoje sei como é!
Trombei Jé, Gago, Vinicius, Renan, também Dedé

Fechei os olhos, pisei na nuvem branca de Deus
Olhei pra baixo, pro caixão, aquele era eu
Parceiros abalados, meu corpo perfurado
Covardemente assassinado; (maldito fardado)

O anjo gabriel, que veio me buscar
Pra uma viagem longa pra nunca mais voltar!

Arcanjo apareceu, Miguel desceu também, disse
Há males da vida, jovem, que vem pro bem
Mas, eu não entendi que esse bem, me fez mal!
Saudades me corrói, paulin da capital

Adicionar à playlist Tamanho Cifra Imprimir Corrigir

Posts relacionados

Ver mais posts